O Encontro para a Nova Consciência


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


O Encontro para a Nova Consciência (ENC) é um evento internacional realizado todo o ano na cidade de Campina Grande, Paraíba, visando a partilha das mais diversas formas de pensamento, bem como o espírito de liberdade, respeito, tolerância e paz em seu mais alto nível, reunindo e disseminado, assim, variadas culturas.

Venho por meio desta apresentar o ENC e tentar passar o seu espírito (mesmo sabendo que é impossível, pois é preciso estar participando do encontro para saber como é...). Claro, introduzindo um pouco do "folclore" do World of Darkness, mais precisamente, elementos de Mago - A Ascensão.

Nunca é demais lembrar: o que escrevo aqui relacionando ao WoD (tópicos que estiverem 'em on') é meramente criação de minha imaginação, nada tendo à ver com a realidade do ENC.

Espero que seja do proveito de vocês e que gostem. Bom divertimento!

O EVENTO ('em off')

O Encontro para a Nova Consciência ocorre desde 1992, sempre na cidade de Campina Grande durante os dias e festividades do carnaval. Tem duração de 5 dias, com palestras, debates, mesas-redondas, workshops, shows, exposições, mostras, vivências, cursos, etc.

Trata-se de um encontro internacional macro-ecumênico, pretendendo não só partilhar de conceitos religiosos, bem como esotéricos, conhecimentos de seitas, tribos, diversos povos, idéias individuais, entre outros. Também envolvendo as culturas destes conceitos com dança, música, pintura, teatro, cinema, artesanato, etc. Padres e pastores alinham-se com monjes e rabinos. Espíritas e Hare Krishna conhecem o Santo Daime e a Fé Bahá'i. Físicos e psicólogos aprendem com índios e ciganos. Rosacruzes e xamãs confraternizam-se com ateus e agnósticos. Estudiosos e leigos viajam dos mapas astrais à mecânica quântica, da acupuntura às cores e cristais.
O ENC, na verdade, não se trata de um único evento, e sim de um verdadeiro encontro de diversos eventos, como o Simpósio de Terapias Alternativas, o Encontro de Filosofia Univérsica, O Encontro de Ufologia Científica ou O Encontro da Comunidade Bahá'í (estes sendo alguns dos eventos mais antigos do ENC). Durante o XII ENC, que ocorreu no ano de 2003, houveram mais de 55 encontros e eventos paralelos, que vão desde Encontros de RPG até Seminário sobre Florais, ou desde Palestras Religiosas até Encontros sobre Xamanismo.

Durante o ENC, podemos, durante o dia, participar de palestras, debates e mesas-redondas, que acontecem sempre no Teatro Municipal da Cidade (as principais palestras), no Colégio Alfredo Dantas, e em outras localidades. Também ocorrem exposições de arte, workshops, mini-cursos, vivências, oficinas, realização de cultos das mais diversas seitas e religões para o público em geral, entre outras coisas.

Sempre ao lado do Teatro Municipal, na Praça Nova Consciência (praça montada exatamente para o encontro), pode-se visitar feiras esotéricas, de livros, e de outros objetos de variadas culturas, desde roupas indianas até instrumentos musicais indígenas.

Durante à noite ainda ocorrem palestras e debates. Mas também uma mostra de Curtas-Metragens na Praça, onde ainda funciona a feirinha, e shows com bandas de rock. (Nesse período do dia ocorrem também Live Actions do Encontro de RPG.)

E, para por fim ao dia, durante a madrugada, ainda na praça, acontecem shows com as principais atrações musicais do ENC. Bandas e cantores sempre com propostas originais e mostrando inúmeros estilos musicais, como por exemplo Hare Krishnas tocando Punk Rock, ou indianos tocando cítara.

Quando você se toca, já é manhã...

Assim se passam os cinco dias do ENC.

O AMBIENTE

A cidade de Campina Grande, por não haver praias e festividade alguma de Carnaval, encontra-se 'vazia' durante este período, já que seus habitantes viajam para outras cidades com o objetivo de festejar. Em geral, só permanece na cidade os que não gostam de festas. Ou os que ficam para o ENC (meu caso!). Além dos moradores de Campina Grande, o encontro vem atraindo cada vez mais pessoas de todo o Brasil; e até de outros países. Também de inúmeras culturas e crenças.

Durante o ENC, todo o centro da cidade é 'dominado' pelo encontro. Caminhando pelas ruas podemos encontrar a liberdade e o respeito: pessoas se vestindo nos mais variados estilos (metaleiros, hippies, Hare Krishnas...), de outros países, de diversas culturas e religiões (cristãos, índios, budistas...); encontramos shows de mágica, vendedores ambulantes, cantores independentes, exposições... Além de promover a cultura e a arte, onde pode-se expor seus trabalhos em artes plásticas, musicas, literatura, etc.

Um 'prato cheio' para quem é eclético e curioso em relação às mais diversas culturas, formas de arte, religiões, organizações, seitas, pensamentos, idéias e, principalmente, pessoas.

OS MAGOS: O EVENTO E SUA HISTÓRIA ('em on')

Campina Grande se situa no alto da Serra da Borborema. Um local um tanto que desconhecido, tanto pelos mortais, quanto pelas criaturas das trevas. Mas, entre os Despertos, o local causou uma estranha atração desconhecida e, muitas vezes, nem mesmo percebida. Atração esta que faziam, muitas vezes, os Magos que estavam de passagem, ali pararem para descansar ou se esconder de algo. E outros, quando precisavam comparecer àquela região do Nordeste, se reunirem ali. Porém, ainda, uma atração muito estranha e discreta. Mas com o tempo, a curiosidade dos Magos levou-os à estudos e, conseqüentemente, interessantes descobertas sobre o local.

A Serra da Borborema situava-se dentro da Mata Atlântica. Local que, há muito tempo, fora habitado por licantropos, fadas e outras criaturas, muitas que deram origem ao folclore indígena e colonial, dos tempos do cultivo de cana-de-açúcar na região. É sabido, por estas e outras razões, que a floresta tinha uma grande quantidade de quintessência e diversos nodos específicos.

Mas o que não se sabia, descoberto pelos estudos dos Despertos que ali estavam, era que a Serra da Borborema era, e ainda é, o maior nodo da região, provendo uma imensa quantidade de sorvo. Existe tanta quintessência no local, que até mesmo os avanços tecnológicos das principais cidades da região (Caruaru, em Pernambuco, e Campina Grande) não 'destruiu' as reservas de quintessência com sua 'civilização'. Talvez até mesmo pela quase ausência do poder Tecnocrata na região.

Com essa descoberta, muitas Cabalas de Magos passaram a se reunir no local onde a Serra da Borborema ocupava. Mas essas reuniões, cada vez mais freqüentes e freqüentadas, começaram a preocupa-los em relação ao seu descobrimento. Temiam que, com a constante ida àquela região, Tecnocratas e outros seres sobrenaturais (e até mesmo os mortais, claro!) percebessem a presença daqueles Magos e a importância daquele local.

Até que uma ousada Cabala de Verbena e algumas outras Cabalas aliadas, na filosofia de "onde esconder melhor algo senão debaixo do nariz dos seus inimigos?", idealizaram o Encontro para a Nova Consciência. Um encontro de Despertos, mas que usariam os mortais para que ele tomasse forma e reconhecimento. Os mesmos mortais, que sem saber, "mascarariam" o evento.

Obviamente, o ENC deveria realizar-se em alguma cidade sobre a Serra da Borborema. Mas que cidade? E em que época?

Primeiramente, escolheram uma época de festividade geral no Brasil. Uma época em que todos estivessem ocupados em "farras" com famílias e amigos, e que só estariam presentes no evento os que realmente se interessassem pelo tema e pela proposta. Exatamente os que melhor serviriam para os intuitos dos Magos. E que melhor época senão o Carnaval? Quando todos viajam para as cidades maiores atrás de praias e festas, para as cidades dos Tecnocratas. E deixariam "livre" o local onde se realizaria o ENC.

Para dar suporte ao evento, tanto no sentido financeiro (apoio da prefeitura e etc) quanto no sentido de o evento tomar um reconhecimento entre os Magos, dever-se-ia escolher uma cidade relativamente grande no alto da Serra: Caruaru ou Campina Grande. Mas Caruaru situava-se muito próximo de Recife, a capital de Pernambuco, cidade onde havia a maior presença Tecnocrata no Nordeste. E durante o Carnaval, a cidade ainda apresentava eventos festivos.

Campina Grande seria a melhor escolha: a maior cidade sobre a Serra da Borborema; já possuía um certo índice de presença esotérica; entre outros seres; e totalmente ausente de eventos ligados ao Carnaval; livre da Tecnocracia (longe de Recife), dos Vampiros (ausência de "vida noturna") e licantropos (estes iam mais para João Pessoa, capital da Paraíba, afinal, é a cidade mais verde do mundo e ainda apresenta boa parte da Mata Atlântica).

Tendo escolhido o local e a data, a Cabala de Verbena pôs seus planos em ação, promovendo influência no meio social e político da cidade, até que, depois de quase um ano de planejamento, o evento tivesse início no ano de 1992.

Obviamente, muitos Magos foram contra, causando até uma pequena desavença entre os Despertos que freqüentavam o local. Mas com o tempo, a idéia do ENC mostrou-se bastante prática e útil.

Atualmente, cresce o número de Magos que se reúnem durante o festival à cada ano. E, cada vez mais, eles vêm de lugares mais distantes em todo o mundo. No ENC eles discutem problemas, encontram soluções, trocam idéias, formam novos grupos e Cabalas, descobrem novas rotinas e rituais, estudam certos pensamentos, e, o mais importante, têm um breve momento de distração e diversão em meio à Guerra da Ascensão...

O ENC reúne tantas culturas e crenças, que seus visitantes muitas vezes, dividindo suas idéias e pensamentos com outros, passam a ampliar sua "visão de mundo", nem que seja por um certo instante, e pode-se perceber no local uma certa distorção do Paradigma mortal da atualidade. Chega a ser possível realizar certas mágikas e rotinas, que antes seriam vulgares, em frente às pessoas sem nenhum acúmulo de paradoxo, ou, se o fizer, o mínimo possível.

E é este ambiente de despreocupação e liberdade para com os Magos que vêm atraindo suas atenções para o encontro.

Mas, infelizmente, a popularidade do ENC vem aumentando, e com isso a atenção dos inimigos. O que é um momento de paz e prosperidade para os Magos do Conselho pode acabar se tornando um pesadelo...

Considerações Finais:

Com isso tentei mostrar-lhes o que é de fato o Encontro para a Nova Consciência (que para quem não conhecia e não se tocou, realmente existe!!!) e apresentar-lhe um cenário alternativo e um tanto quanto diferente para os Narradores de Mago - A Ascensão e outros Storyteller's.

Procurei não ser muito específico no conceito do ENC para o World of Darkness para dar uma liberdade maior aos que forem usar esta idéia. Por isso nada de nomes, de datas (somente o ano que o evento foi criado), de fatos, ou qualquer outra coisa mais específica.

Quem estiver mais interassado em minhas idéias em relação ao ENC para o WoD, basta me contatar pelo: nielison@bol.com.br. E quem ainda quiser saber mais sobre o Encontro para a Nova Consciência e/ou Campina Grande, novamente, e-mail-me ou entrem no www.novaconsciencia.com.br ou ainda no www.pmcg.pb.gov.br.

Agradeço à todos que leram com atenção e ao Page of Mirror pela oportunidade. Enviem-me e-mail's com sugestões, dúvidas, críticas, idéias, reclamações, ou somente para entrar em contato com alguém que adora Mago - A Ascensão.

Ah! E não deixem de comparecer ao próximo Encontro para a Nova Consciência!!!

local original: Page of Mirrors
nome original: O Encontro para a Nova Consciência
autor(es): Nielison Andrade de Brito:
tradutor(es):

 Navegação Rápida