Dicionário


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Muitas das palavras da tradição vêm da sua origem, dos Filhos de Chronos e das Divyas Tântricas. Eles usavam o Sânscrito para definir muitos de seus conceitos, outros termos surgiram com o decorrer do tempo.

Ananda – O sagrado estado de felicidade e de transcendência, não a Ascensão, mas algo muito próximo dela.

Chakra – O centro de Energia sobre a coluna, onde as energias místicas passam. Vários praticantes orientais definem de oito a sete Chakras, que correspondem a regiões das glândulas de endocrina. Exercícios tântricos, entre outros, estimulam as energias que fluem nesses centros, ver Ojas.

Código de Ananda, O – A ética que a maioria dos Cultistas seguem, compilados durante a formação da tradição e ensinado como palavras sagradas pelos mentores do Culto.

Congrex – Uma comunhão mística, algumas vezes sexual, outras não, quando o poder desperta.

Daemon – Um termo comum para Avatar. Um Daemon é o oposto de “Demônio”, ele é a inspiração, a Musa, o Eu Sagrado

Dakini – Uma mulher sagrada Tântrica, cujos poderes fluem da energia sexual

Diksham – Um laço entre o mentor e o aprendiz

Divya – Um Mago Mestre, alguém que conhece as maiores compreensões (que possuem normalmente 5 em alguma esfera)

Drogas, Running Away – Tranqüilizante, Narcóticos e outros produtos químicos que os Cultistas não gostam.

Drogas, Running Toward – Alucinógenos, estimulantes e outras substancias químicas que desbloqueiam a inibição e abrem as pessoas para uma nova percepção.

Jambo – O desafio “formal” do Culto, convocado para discutir algo sério, mas aprimorado com festas selvagens e convites carinhosos.

Kamanga – Os caminhos do êxtase, como os Focos, vários meios de alcançar o estado do êxtase, como viagens, danças, jejuns, etc.

Lakashin – O pulso divino ou as Batidas do Mundo, a ressonância de todas as coisas. O culto ajuda as pessoas a alcançar o lakashim e fazer a magia fluir.

Linha do Sonho – Uma comunicação mística que convoca os êxtases durante emergências.

Mente fechada – Alguém de fora, que não entende a Tradição.

Ojas – “A Energia Vital”. O poder interno que os Cultistas usam para alterar a Consciência, a energia interna que os cultistas usam, a reserva de Quintessência que o mago possui no corpo.

Okox – Comunhão com espíritos, geralmente através de transes e possessões. Geralmente envolve o sexo entre o Espírito e o Mago, canalizando e aumentado a percepção de ambos.

Sahajiya – Um dos muitos nomes de formação do Culto

Seers of Chronos (Profetas de Cronos) - Um dos muitos nomes de formação do Culto a Baco - Um dos muitos nomes de formação do Culto.

Seitas – Pequenas ordens dentro da tradição, muitas precedem até mesmo o Culto do Êxtase.

Shakti – “O poder criativo”; a energia primordial, muitas vezes incorporado como uma Deusa. Também um nome comum para a Magia Verdadeira dos Cultistas. Para realmente acessar o Shakti é preciso a Felicidade, Vontade, Conhecimento, Sabedoria e Prática.

Shakta – O focus masculino de energia que dá a forma crua dos poderes de Shakti. A união dos dois por completo é o grande ideal Tântrico.

Siddhu – Um místico indiano, um homem sagrado errante.

Tantra – O sistema do balanço de polaridades entre os exercícios, meditação, postura e Congrex. Ao contrário da crença popular, muitos dos exercícios tântricos não são sexuais, apesar dos mais populares serem. Dakshinacara, “O Caminho da Mão Direita”, concentra a devoção espiritual ou o maior poder que as sensações mortais. Vamacara, “O Caminho da Mão Esquerda” da magia Tântrica, envolve a divindade interna focalizada através da energia sexual, como o sexo ritual, drogas, dança e meditação. Tentem adivinhar qual o caminho que os Cultistas preferem?

Zeigeist – Os “Espíritos do Tempo”; uma personificação e um período que carrega a sua Ressonância Emocional e que criam vida. Algumas vezes um Shaman Cultista pode convocar ou contactar esses Espíritos

local original: Players Tools
nome original: desconhecido
autor(es): Grimm e Ricardo
tradutor(es):

 Navegação Rápida