O Ônibus Neko


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Seguindo os passos da Era Reagan/Bush, com capitalismo excessivo e cocaína para as massas, o Cultista moderno é mal compreendido, e é citado muitas vezes erroneamente, freqüentemente visto com medo. Muitos jovens estão entrando na armadilha das drogas "que derrubam" em vez de perceber o potencial das drogas "que elevam"; LSD, peyote, mescalina e até mesmo cogumelos, dos mais velhos do Culto, estão sendo substituídos por heroína, PCP, crack, speed e álcool, a escolha de uma nova geração.

Vários Cultistas estão dispostos a respeitar esta apatia por parte dos jovens. Uma escolha mesmo que não escolhida ainda é uma escolha, eles dizem, e quem diabos somos nós para forçá-los? Realmente, forçar ou coagir qualquer um vai contra a mensagem da Tradição, de "Ascensão individual". Mas alguns Extáticos acreditam que eles encontraram um meio de resolver esta apatia.

"Cara, você viu isto?" Barney me disse totalmente excitado no telefone, o que era raro para ele. "Aqui diz que é uma excursão que vai do centro do país até Los Angeles, e, olhe isto - só vinte dólares!"

Eu tomei outro gole da minha cerveja antes de responder. "O que é isto? Algum vôo de fim de semana? Promoção especial? Você deve comprar sua passagem com vinte dias de antecedência?"

"Não, meu, aqui diz que é um ônibus."

A cerveja acabou descendo pelo "tubo errado" e eu acabei cuspindo ela pelo quarto. "Cara," eu disse, "não há nenhum meio de você chegar em Los Angeles em um final de semana."

Eu pude ouvir Barney lendo o folheto antes de me responder. "Diz aqui é uma viagem de três semanas."

"O que você disse? Cara, que tipo de drogas este sujeitos usam? Esta é uma viagem de no máximo quatro dias. Três semanas? " O problema era que, eu realmente precisava ir para Los Angeles, e eu não tinha um carro. Esta cidade ficava no meio do nada, e Los Angeles era a Terra Prometida. Eu tinha um trabalho encaminhado, se eu pudesse chegar lá até o fim do mês.

"Três semanas é o que diz. Diz que eles param no Grand Canyon, Parque Nacional Yosemite, São Francisco, e então Los Angeles." Barney não tinha nada esperando por ele em L.A., mas ele não tinha nada aqui também.

"Certo, mas e sobre hotel e comida? Aposto que é por isso que é tão barato, eles devem ganhar uma parte do que você gasta nos hotéis, certo?" Isto era muito bom para ser verdade.

"Diz aqui que o motorista se encarrega da comida, e você acampa na estrada."

Eu podia ouvir meu coração pulando em meu peito. Três semanas na estrada, incluindo todas as despesas, e tudo isso por vinte mangos? Isto não podia ser real. Isto não podia estar acontecendo comingo. "Barney, cara, quando eles partem?"

"Depois de amanhã, mas eu acho que nós devíamos ligar agora,fazendo nossa reserva, o que você acha"?

"Barney."

"Sim?"

" Ligue para eles."

O Ônibus Neko começou a correr no início dos anos setenta como um tipo de ônibus de excursão para garotos que seguiam pelo Deserto. Naqueles dias, as regras eram simples: comida comunitária, facilidades para dormir, dinheiro e drogas. A maioria dos jovens que montavam no ônibus não tinham um único centavo no nome deles, mas eles estavam dispostos a viajar, e os Extáticos estavam felizes em ter um número constante de discípulos para ensinar. O Ônibus (nomeado por um Cultista que adorava assistir animes japoneses) só parava em cidades próximas ao Deserto, descarregava sua carga de jovens, fazia um show, apanhava um grupo novo de jovens, e partia para a localidade do próximo concerto. Em todos os anos em que o Ônibus Neko seguiu pelo Deserto , nunca perdeu um único concerto, nunca furou um pneu e nunca foi multado por policiais. Também nunca se atrasou por qualquer motivo que seja. Se você estivesse no Ônibus, você estava no Ônibus. Se você estivesse fora do Ônibus, bem... você ficava. A coisa toda era uma questão de chance, criada pelo trio de Cultistas que dirigia o Ônibus.

Nos anos oitenta, o serviço do Ônibus diminuiu, e então parou completamente. Alguns culparam o Reaganismo, alguns culparam os yuppies, e alguns (como sempre) culparam a si mesmos. A verdade não era nada tão simples quanto tudo disso; era mais simples ainda. Os três Cultistas se encheram de dirigir o maldito o ônibus, montaram sua própria banda, e agora possuem uma marca independente que se recusa a ter negócios com o antigo empresário.

No fim dos anos oitenta, um pequeno grupo de Cultistas estavam sentados com o trio mais velho, jogando conversa fora, quando o rumo da conversa voltou-se para os velhos dias do Ônibus Neko. Depois de uma maratona de 24 horas de psicoddelismos e viagens, o grupo inteiro decidiu reabilitar o Ônibus, só que agora como uma companhia de turismo legítima.

"Você deve estar brincando", disse Barney , não achando tão bom agora que nós estávamos finalmente na frente do ônibus. Ônibus. Essa era a palavra, eu acho. Era difícil de dizer, exatamente.

Veja, o ônibus inteiro era pintado de bege escuro precisamente como pelo de gato. Os pneus tinham patas de gatos pintadas. Na parte de trás do ônibus tinha o desenho de um rabo de gato. Na frente tinha bigodes, e os faróis foram pintados para se assemelhar aos olhos de um grande gato. E havia, eu juro por Deus, em cima do ônibus orelhas de metal. Parecia o ônibus escolar da escola infantil Salvador Dali. A única parte que se parecia um ônibus era a placa de destino, e esta estava em japonês.

Claro que, não era um ônibus escolar. Era um ônibus de cidade, mas na parte de trás tinha camas dependuradas no local de assentos. Os assentos restantes eram até que confortáveis. Era como um sonho que se tornava realidade.

O motorista era um Nativo americano chamado Chris, ele tinha cabelo longo e usava óculos escuros como os de John Lennon. Só faltava cantar "Imagine", mas isso ele nunca fez.

"Ei, você são Barney e Ray? " ele perguntou e sorriu como se já tivesse nos conhecido à muito tempo.

" É", eu respondi. " Somos nós ". Barney apenas olhou pra ele como se ele fosse de outro planeta.

"Vocês vão para Los Angeles, certo?"

"Uh, huh ".

"Legal". Parecia que isso significava muito pra ele. "Eu peguei pessoas que vão para Los Angeles. Grande!"

"É?" Eu não sabia o que dizer. Eu quero dizer, ele estava sendo tão legal, que tudo que eu podia pensar era, isto é real?

Como uma Companhia de Turismo o Ônibus de Neko percorre dezenas de cidades em todo os EUA, mas sua sede fica em São Francisco. A maior parte de sua publicidade é feita boca à boca, mas você pode encontrár uma pequena publicidade na lista telefônica, só há um escritório na Rua Haight onde são administrados os negócios da companhia. Lá você pode reservar uma excursão para qualquer lugar do país; se um ônibus não vai pra lá, você pode na metade do caminho ser transferido para outro ônibus que vai para onde você quer ir.

A maioria das pessoas que usam o Ônibus Neko está mais interessado nas excursões do que ir de um lugar para outro. Cada excursão inclui comida e acampamento; se o tempo não está agradável o bastante para acampar, há camas no ônibus. Os motoristas (e ás vezes seus assistentes, em viagens longas) compram comida durante a noite, e a comida e limpeza são feitas por todos. A comida é na maioria das vezes voltada para vegetarianos, mas não tem problema se você quiser parar no McDonald´s mais próximo. As excursões tendem a ser negócios indiretos; muitas excursões passam pelo Parque Nacional Yosemite e demoram muitos dias para permitir que seus passageiros desfrutem ao máximo o acampamento e o deserto. Dependendo de quem está no ônibus, o entretenimento do dia pode ser saltar de bungie-jump, uma caminhada pelo deserto, uma excursão psicodélica, tocar tambor tribal, ou só uma fogueira de acampamento.

A excursão mais popular é a Gathering Tour. Todos os anos, um grupo de velhos Cultistas, e as pessoas que apreciam viver em comunidade se juntam em uma localização predeterminada e fazem uma festa de três dias. Normalmente a Gathering é sujeito à uma reserva para evitar intervenção policial local; não é incomum ver Gangreís ou Garous espiando ao redor. A Gathering Tours sai da Rua Haight três dias antes e sempre chega a tempo. Quando a Gathering termina, o ônibus leva outros três dias para voltar, não importando onde a Gathering seja realizada.

"Eu não tenho nenhuma idéia de onde nós estamos," Barney disse enquanto olhava pela janela o deserto que nós estávamos cruzando. "E nem que dia é hoje?"

Eu comecei a dar risada. E não pude ajudá-lo. Logo Barney estava dando risada, também. Chris olhou pra trás em nossa sireção e perguntou. "Tendo uma boa viagem, caras? "

"Claro!" Eu disse, "onde nós estamos?"

"Deserto Mojave, Califor-ni-A, " ele respondeu e olhou para a estrada. "Nós temos que parar e apanhar duas crianças que vão para Chicago."

Minha cabeça virou. "Cara, nós partimos da Pennsylvania. Como nós podemos já estar na Califórnia? E como as crianças vão para Chicago indo para Los Angeles antes?

Eu pude ver Chris sorrindo pra mim pelo espelho retrovisor. "De fato, nós estamos saindo um pouco do caminho para Los Angeles. "

"Oh," eu disse. De alguma forma isso tinha um pouco de sentido . Talvez tivessem sido as drogas.

Enquanto a Companhia de Turismo Ônibus Neko é um negócio legítimo que de fato administra viagens por todo os Estados Unidos, também é uma frente de recutamento para o Culto do Êxtase. Oferecendo preços muito baixos, o Culto consegue clientes muito jovens ou mais boêmios. Durante a excursão, os motoristas cuidadosamente expõem os passageiros às crenças dos Extáticos de responsabilidade individual e liberdade; esta política de evangelismo através de exemplos pode ser muito atraente para pessoas que cresceram em um regime autoritário que lhes diz o que fazer e o que pensar. Até mesmo se os Cultistas não converterem todos que fazem a Excursão, a maioria, das pessoas que montam no Ônibus Neko ganham uma nova visão sobre estas crenças.

Claro que, enquanto os motoristas estão levando aos passageiros o estilo de vida do Culto do Êxtase (ou uma parte dele), eles também estão verificando as aptidões mágikas dos passageiros ou atitudes semelhantes. Um Cultista muito raramente iria força um Adormecido à Despertar, mas a maioria dos Cultistas não tem nenhum problema em ajudar Adormecidos à Despertar se esta for a escolha deles. Aqueles que Despertam na Excursão são livres para se unirem à Companhia ou vagar sozinhos, para onde a Felicidade os levarem.

Às vezes um passageiro pode ter um caminho diferente à seguir. Nas excursões do Ônibus Neko freqüentemente são celebrados rituais com Oradores dos Sonhos. Às vezes, um passageiro que não abraçou o caminho do Culto pode achar que o seu caminho permanece na trilha dos Oradores. Menos frequente porém, o Ônibus pára em locais onde os Verbena comungam com a Natureza; em troca desta cortesia, os Verbena oferecem um banquete aos participantes. Se algum dos participantes decidir ficar com os Verbena, os Cultistas são obrigados a aceitar esta escolha.

Quando nós deixamos as crianças em Chicago, eu comecei a me sentir como se fosse um veterano no ônibus. Eu tinha aprendido a juntar ervas e até mesmo à cozinhar, e Chris me deixou algumas vezes até mesmo ir buscar comida durante a noite. Barney mantinha-se cada vez mais distante. Chris disse que ele estava em uma busca visionária ou algo assim, mas ele estava bem. Eu tinha certeza de que ele não estava se alimentando direito, mas do resto ele parecia bem, só... que não estava realmente ali.

Eu calculei que nós havíamos partido à aproximadamente quatro dias, o que realmente me surpreendeu. Eu quero dizer, nós tínhamos estado por toda parte do país, e só tinha levado alguns dia. O Tempo voa, eu admito, mas eu nunca achei que ele parasse.

De qualquer forma, depois de Chicago, nós fizemos um último desvio para Yosemite. Eram só Chris, Barney e eu, assim não havia nenhum motivo para pressa. Chris sugeriu que nós fossemos ver uma ponte que ele conhecia. Eu concordei.

Quando nós chegamos lá, era incrível. Havia uma distância de pelo menos duzentos pés até o rio e as pedras lá embaixo. Chris disse que um amigo lhe falou sobre esta ponte, e era impossível achá-la a menos que você soubesse onde ela ficava. Eu podia acreditar nisto. Me sentia totalmente fora do mundo. Eu apenas olhei para baixo e me surpreendi. Era incrível.

Nós paramos para almoçar lá, e o Chris quebrou alguns cogumelos. Eles pareciam não afetar o modo como ele dirigia, e eu realmente estava conseguindo gostar deles. Nós os comemos com nosso almoço, e eu nem mesmo me senti mal, o que é um mistério porque a primeira vez que comi cogumelos eu tive uma viagem e tanto. Quando as cores estavam começando a ficar loucas, Chris disse. "Ei, você já saltou de bungie-jump?" Eu abri um sorriso de orelha a orelha.

A próxima coisa que me lembro, é ele pegando cordas e mais cordas e as prendendo à ponte. Então ele prendeu a outra extremidade em minhas pernas. "Você tem certeza de que quer fazer isto?" ele perguntou.

"Você está brincando?" Eu disse, os cogumelos estavam fazendo as cordas se parecem com raizes de um tubérculo. Meu sorriso estava ameaçando se esparramar para fora da minha face. Eu subi em cima de um corrimão . Chris moveu-se a uns dois metros da ponte. " Ei, " eu disse, "você não vai me empurrar?"

" Ray, " ele disse, a ele estava tão sério, de um modo que eu nunca tinha visto, "eu nunca vou empurrá-lo. Este não é o nosso modo ". E então eu soube com certeza o que ele quis dizer com isto. Tudo o que eu tinha feito nesta excursão tinha sido idéia minha, minha própria escolha. Este era exatamente o modo. " Só me prometa uma coisa ".

"Qualquer coisa ".

"Não diga 'Geronimo', eu realmente odeio isso". Ele sorriu.

Eu ergui o polegar confirmando e então mergulhei em direção ao vazio.

Meu coração parou de bater. O ar que batia rápido contra meu rosto deixou de bater A água abaixo de mim parou de correr. Eu parei de cair. Pendurado lá, suspenso, quase duzentos pés sobre pedras e água, com nada entre eu e a morte além da minha vontade, eu sabia. Tudo era minha escolha. Toda a realidade eram minhas escolhas. A distância entre Levittown, Pennsylvania e Los Angeles, Califórnia era minha escolha. A queda era minha escolha. Eu decidi cair.

Eu gritei durante toda a queda e durante toda a subida, um grito de guerra, uma declaração de existência, o grito dos recém Despertos.

Nós nunca chegamos à LA. Barney parou com uma sábia mulher índia mexicana em Baja, e Chris e eu, nós continuamos indo. Você sabe, eu ainda não sei onde nós estamos, mas eu sei que eu escolhi vir aqui.

local original: Anders Mage Page
nome original: The Neko Bus
autor(es): Anders Sandberg e Erik Nielsen
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida