O Sol Negro


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Até mesmo as maiores almas podem ser distorcidas, corrompidas pelo conhecimento, poder ou amor. Judith Freeman é uma destas decaídas.

Uma dia ela já foi uma das vozes mais luminosas do Coro Celestial, um visionária amada e místika. Ao longo da sua vida ela se dedicou ao Coro e sua missão, mas ela tinha uma inclinação mística que a alertava que existia algo mais que as esferas. Ela buscou a sabedoria interna e tentou alcançar o fragmento do Uno que ela sentia dentro de si. Ela sentia sua necessidade de união, o grande elo para a unidade, para reconciliação de tudo ao tecido da criação.

Se ela não tivesse se encontrado com Griscard Rochman a sua vida e trabalho seguramente teria sido diferente. Griscard era uma das crianças de Cain, uma sombra negra que se sentira irresistívelmente atraído pela luz de Judith. Ele a assistiu ao longe, fascinado por sua beleza espiritual, seu poder, sua fé. Finalmente em uma noite ele se aproximou do telhado da capela, desesperado por tê-la por perto apesar do perigo para ambos. Judith calmamente escutou às confissões sombrias dele, e o perdoou. Ela ficou fascinada pelas Crianças de Cain, e durante noites subseqüentes ela escutou o conhecimento que era derramado dos lábios de Griscard.

Finalmente a tentação foi muito forte, e ela deixou que ele bebesse do vitae dela - e ele deixou que ela bebesse do seu. Na sua união, Judith sentiu algo que ela nunca tinha experimentado: uma alma tocando outra alma, um fragmento do Uno tocando outro fragmento do Uno (embora corrompido por milênios de degradação). Fascinados, eles misturaram seu sangue e unificaram vida e morte. Naquele momento crucial algo novo se revelou à Judith, e ela começou a cantar uma nova canção. Ela descobriu um novo caminho para o Uno, um modo de devolver todos os fragmentos perdidos à unidade primitiva. Usando sua mágika ela bebeu mais de Griscard que permaneceu impotente em seus braços. Ela bebeu a alma dele e uniu com a sua.

Judith assistiu o nascer do Sol que subia por sobre as árvores ao redor da capela, cheia de alegria e temor pelo que tinha acabdo de fazer. Aos seus pés uma pilha de cinzas era soprada pela brisa da manhã, mas seu amado estava dentro de si, junto à sua alma.

Durante as próximas semanas ela gradualmente obteu conhecimento. Ela sentia a fome do vampiro, e entendeu o que isto era: um desejo desesperado de alcançar a unidade. Ela entendeu por que as crianças de Cain desejavam tanto o sangue deles próprios e dos mortais, e os perdoou.

Quando ela revelou o que tinha feito aos diáconos da capela, ela ficou surpresa com a reação deles. Como eles poderiam temer e repreender o que ela tinha feito? Ela não tinha lhes mostrado um modo para a reconciliação, da grande unidade da vida com a morte? Quando eles ordenaram que ela fizesse penitência pelo seu crime, ela respondeu que faria penitência, mas não por sua ação, mas para purificar sua nova alma dos pecados das crianças de Cain. Isso foi demais, e ela foi expulsa do conselho.

Por muito tempo Judith ficou triste e confusa pelo que tinha acontecido. Por que eles não puderam aceitar a sua visão? Como tais mestres iluminados poderiam estar tão cegos? Mas ela percebeu que muitas pessoas tinham medo da unidade que eles almejavam, um medo que mantinha os fragmentos do Uno separados e sós. Mas as suas opiniões não importavam, só a compaixão importava. Ela tem a intenção de unir todas as almas solitárias- devorando-as.

local original: Anders Mage Page
nome original: The Black Sun
autor(es): Anders Sandberg
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida