Vida em família entre os Despertos


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Ter uma família e entes queridos fornece um propósito e alegria para a vida da maioria das pessoas - mas magos são abençoados e amaldiçoados com seus próprios desígnios e deveres. Suas perspectivas os separam dos mortais e dos sentimentos humanos (até mesmo o mais poderoso de todos os mestres não consegue escapar disso), quebrando suas relações com velhos amigos e parentes e compelindo-os a buscar mistérios fora do mundo dos Adormecidos.

É um fato triste que o amor entre magos e Adormecidos raramente funciona, a distância é tão grande que acaba com as melhores intenções de ambos os lados. Como os Mentores aconselham seus discípulos: "O amor eleva os mortais à Ascensão, mas empurra o mago para o Abismo". A combinação de paixão incontrolável com o desejo dinâmico pela Ascensão e o poder de deformar a realidade é uma mistura volátil.

Alguns magos se apaixonam por adormecidos, e logo percebem que eles vêem o mundo de uma forma completamente diferente. Eles não podem revelar as verdades que eles vêem aos seus companheiros, pelo menos não completamente, e assim eles são forçados a mentir ou omitir a verdade - a menos que eles tentem mostrar a verdade, o que poderia ter conseqüências profundas. Algumas pessoas podem aceitar o mundo sombrio, do qual eles vêm sendo protegidos por tanto tempo - outros fogem em pânico ou ficam loucos. A pior coisa é que por estar tão perto de um mago, o amante correrá o risco de ser envolvido em conflitos sobrenaturais - o que é normalmente mortal para um adormecido.

Quando dois magi se apaixonam os resultados são ainda mais impossíveis de se predizer. Cada um é um indivíduo poderoso e dinâmico que manipula a realidade, o que significa que o menor conflito ou dissonância podem ter efeitos desastrosos. Isto é muito problemático para magos de tradições diferentes onde as perspectivas e realidades colidem entre si. Às vezes eles se juntam, e nestes casos raros o laço entre os magos pode se tornar mais forte que qualquer coisa no mundo. Mas infelizmente, na maioria dos casos o que leva cada mago à Ascensão acaba por separá-los

Alguns magos tentam seguir a estrada do meio, e vivem com seus assistentes ou estudantes. Isto evita o problema de ter que esconder sua verdadeira natureza de seu cônjuge e a incompatibilidade de paradigma, mas será uma relação muito desigual. Mais de um assistente já se sentiu sufocado ou inferiorizado perante o artífice. Alguns magos já mantiveram relações até mesmo com outros seres, como espíritos, garou, fadas e até mesmo vampiros, mas isto é extremamente raro.

Várias tradições encorajam (ou impõem) o celibato entre os seus membros, principalmente o Coro Celestial, a Irmandade de Akasha e Ordem de Hermes. Entre muitos grupos místicos é conhecido por milênios que a abstinência sexual (e às vezes emocional) ajuda a concentrar as forças mágicas e afiar a vontade do magi. Também há uma razão prática: evitando os laços de amor e família, o mago fica livre para participar do Grande Trabalho.

De acordo com certos mitos difundidos pela sociedade desperta os Filhos do Éter e os Adeptos da Virtualidade são totalmente incompetentes para romances e situações sociais, mas isto não é em geral verdade. Porém, não é segredo que muitos Adeptos da Virtualidade desdenham seus corpos físicos e qualquer desejo sublime e que preferem o sexo (e romance) na Rede ao real. Filhos (e Filhas) do Éter são freqüentemente muito individualistas para se dar bem com outras pessoas, mas às vezes suas obsessões combinam com as de outro membro, e os romances resultantes deixam até mesmo um Cultista do Êxtase ruborizado. Nenhuma das duas tradições tem muito interesse em formar famílias, afinal isto os distrairia de seus trabalhos.

Os Eutanatos normalmente são solitários até mesmo entre si, e manter uma família não é uma opção para eles - seu legado é incompatível com a vida familiar e sua missão é trabalhar como pastores entre os mortais.

Os Oradores dos Sonhos também são um pouco solitários, embora normalmente menos evitados que os Eutanatos. Eles vivem freqüentemente fora da sociedade, embora mantenham seus laços com ela. Poucos são casados.

Os Extáticos freqüentemente se consideram como peritos no amor e sedução. Isto é em parte verdade, mas suas aventuras e rebeldias normalmente conduzem-nos a uma sucessão infinita de companheiros; e se estabelecer em uma família é uma idéia contrária à maioria dos cultistas.

Os Verbena por outro lado consideram o amor e a família como sendo crucial, e estão entre os magos mais prováveis para formar famílias (que sejam duradouras), freqüentemente com acólitos ou até mesmo adormecidos.

Muitos tecnomagos (com exceção da Iteração X e dos Engenheiros do Vácuo) também tem famílias, normalmente com adormecidos. Sua mágika estática e seu modo de manipular da realidade torna-os mais fáceis de combinar com a vida familiar. É muito comum para seus familiares acreditarem que o mago somente está trabalhando em alguma agência mundana, como uma firma de segurança, uma grande corporação, um laboratório biotecnológico ou no governo. As famílias de Tecnomantes têm em geral um padrão alto de vida e normalmente são harmoniosas (embora elas sejam normalmente conformistas). Enquanto a Tecnocracia encoraja estes laços com as Massas, ela não apóia tecnomagos que se prendam emocionalmente demais à isto.

Os Filhos do Poder

"Leon, eu acho que nós temos que fazer algo. Eu peguei Niklas brincando consigo mesmo*".
"Isso é natural, embora ele seja um pouco jovem".
"Não, não é isso, ele estava brincando com ele próprio. Um estava jogando a bola para o outro".

*NT: Brincar consigo mesmo é um modo dos americanos se referirem à masturbação

Enquanto muitos magos (não mencionando Adormecidos) acham o amor complicado e distrativo, ter filhos é algo muito mais complicado. É muito raro para magos terem filhos, porque eles raramente formam famílias e porque muitos percebem os perigos potenciais nisto.

Ter filhos é um ato de mágika para muitas tradições. A tentação de criar e influenciar o desenvolvimento de uma criança é muito grande, e os magos "ajudam" seus filhos ligeiramente com sua mágika. Crianças de Tecnomagos são normalmente livres de doenças hereditárias e características ruins, fazendo com que elas brilhem em cada lugar que vão. Algum magos vão além disso, como alguns Nefandi que deformam seu embrião desde o princípio da vida em uma espécie de homenagem para seus mestres.

O maior problema para magi que tem filhos é decidir deixar a criança adormecida em contato com a realidade estática, ou permitir a ela despertar como um mago criança. Nenhuma alternativa é fácil; ter uma criança adormecida é muito doloroso para os magos que tem que esconder suas verdadeiras naturezas dos filhos para que não caiam em paradoxo, e magos crianças são perigosos tanto para eles quanto para o mundo ao seu redor. Alguns magi tentam equilibrar as coisas dando para seus filhos uma educação muito cuidadosa, mas raramente isso funciona.

Magos crianças freqüentemente desconhecem o conceito do paradoxo, especialmente se eles foram criados em um Reino do Horizonte. Quando eles conhecem a realidade estática o choque é muito grande, e mais de um mago criança já se tornou um desaurido por causa disso. Infelizmente (ou felizmente), estes desauridos crianças sobrevivem muito pouco, antes de sua inexperiência destruí-los. Alguns magos criança aprendem a se esconder do paradoxo e usar mágika coincidente, da mesma maneira que as crianças normais aprendem a esconder segredos de seus pais. Mas desde que eles vêem o lado secreto do mundo, eles também são mais prováveis de se meter em problemas. Algumas destas crianças se envolvem com as Fadas e acabam preferindo o agradável Sonhar ao invés de permanecer no mundo severo de seus pais. Outros se tornam presas das forças sombrias do mundo, e há rumores de widderslainte e adsinistrati que seduzem crianças entre os Nefandi. É claro que, a Tecnocracia dará tudo de si para esmagar qualquer desvio de realidade entre as crianças.

Ao lado dos problemas acima, a maioria dos magi acreditam que ter um filho é ter surpresas sempre. Muitas crianças desenvolvem suas próprias habilidades que às vezes ultrapassam à dos próprios pais. Ter uma filha que gosta de se mover furtivamente usando Correspondência ou que rouba em jogos com Entropia poder ser muito complicado. E as crianças freqüentemente questionam os ensinamentos que os pais tentam lhes passar.

A Tecnocracia evita isto colocando seus filhos em programas de educação, projetados para moldar suas mentes e avatares em uma forma aceitável. A Ordem de Hermes, Coro Celestial e Irmandade de Akasha também acredita em educar os filhos, embora de modo muito diferente. Enquanto os dois últimos colocam-nos em escolas monásticas para fortalecer suas mentes e almas, os magi herméticos tomam freqüentemente seus filhos como aprendizes e ensinam-nos sobre os mistérios e artes. As tradições mais naturalistas deixam freqüentemente seus filhos aprenderem junto com as outras crianças da tribo ou aldeia - é tão importante ser parte da comunidade como aprender sobre o mundo. Especialmente os Oradores dos Sonhos agem freqüentemente como professores; apesar de raramente terem filhos, eles às vezes adotam ou tomam conta dos filhos dos outros.

Sempre há exceções. Algumas crianças filhas de tecnomagos se rebelam com os pais e se tornam Vazios. Existem Adeptas da Virtualidade casadas com Magos Extáticos. Existem até mesmo Desauridos que se interessam por seus filhos. Só uma coisa é certa: a vida familiar dos Despertos raramente é previsível, e às vezes pode ser completamente perigosa.

local original: Anders Mage Page
nome original: Family Life Among The Awakened
autor(es): Anders Sandberg
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida