Anarquista Independente


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


História:

Quando você nasceu, seus pais disseram que ainda daria o que falar. E eles estavam certos. Desde criança você sempre esteve metido em brigas e confusões. Discordava dos professores, da rotina escolar, das diversões dos colegas. Às vezes por causa de injustiças, às vezes pelo prazer de se opor ao "normal". Quando cresceu, você começou a liderar passeatas escolares, e se tornou um problema no colégio. Ninguém conseguia pará-lo, e chegou a ser expulso de várias escolas. Seus pais estavam bravos com você, talvez com razão. E por isso você fugiu de casa, aos 19 anos, para tentar melhorar sua vida. Na cidade grande, toda à sua disposição, não foi difícil encontrar pessoas como você: Anarquistas, pessoas que se opunham ao "sistema". Logo você se aderiu à causa, e conseguiu se destacar entre os demais. Logo liderava uma fileira de anarquistas só sua. Todos os meios eram válidos, desde ecoterrorismo até invasão de sistemas. Mas depois de algum tempo, tudo se tornou muito simples. Você queria mais. Queria realmente mudar o mundo. E, sem aviso nenhum, passou a agir sozinho. Começou a trabalhar à sua maneira. Claro, as coisas ficaram mais difíceis, mas agora você pode fazer o que desse na cabeça.

Ainda mantém contato com colegas anarquistas, e, devido aos seus feitos e ajuda, pode contar com a ajuda de seus ex-companheiros sem problemas. De vez em quando vai visitar seus pais, que moram numa casa num subúrbio. Eles o tratam como um filho querido, e, de certo modo, respeitam sua escolha de vida. Você ama seus pais mais do que tudo no mundo, e não se conformaria ficar sem eles.

Moradia e Estilo de Vida:

Sua casa fica no centro da cidade. É um apartamento pequeno, simples, de apenas dois quartos, que lhe serve muito bem. Você tem uma fotocopiadora onde imprime folhetos anarquistas e os distribui aos interessados. Paranóia? Pode crer. Sua casa possui alarmes, sistema de incêndio automático, muitas trancas e coisas do tipo. O prédio onde mora é pequeno e relativamente limpo, ficando perto de uma rua movimentada. O barulho do trânsito é terrível. Você dorme de dia e trabalha a noite. O que você faz: Espiona empresas multinacionais, sabota indústrias poluentes e outras coisas bem normais...

Interpretação:

Seja impetuoso! Arrogante talvez, mas sempre corajoso! O sistema é uma chaga na humanidade, tudo isso não passa de uma convenção criada por poderosos que querem manter o povo na pior e se estabelecerem como "chefes" da massa. Isso o enoja. Nada o deixa mais feliz que estragar o dia desses poderosos, espalhar o caos no "perfeito" sistema deles. Talvez você seja fanático a essa causa, mas tudo pelo povo. Você já leu de tudo sobre o assunto, e ninguém pode dizer que você não sabe o que faz. Enfim, você é profissional, e não importa o que façam, você sempre vai se levantar, vai sempre ficar de pé.

Mote:

"Acorde! Talvez você não saiba amigo, mas para eles, lá em cima, você não é nada! Não passa de uma peça insignificante do sistema que eles mantém! Eu não quero ser um peão, você quer? Então me ajude a lutar contra esses capitalistas! Anarquia, amigo! Anarquia..."

Objetos Pessoais e Características Físicas:

Você tem cabelos castanhos, desgrenhados e grandes. Seu rosto é duro e marcado, mas mesmo assim inspira carisma e confiança. É rápido e decisivo, não perde tempo e nunca fica parado. Seu corpo é de um equilíbrio incrível, nem forte nem fraco, nem lento nem rápido, mas na medida certa. Anda vestido com calças rasgadas e desbotadas, botas, jaqueta de couro e camisa com o símbolo anarquista. Tem um pequeno carro popular na garagem do seu prédio e uma moto CG muito bem cuidada que parece sempre nova em folha. Isqueiro, cigarros, óculos escuros, faixa branca na cabeça, soco inglês, uma .45, laptop de hacker, e, em casa, uma escopeta, um poderoso rifle de precisão e uma Uzi. Carrega 30 dólares no bolso, e, se preciso, cartões de crédito falsificados (10 ou mais), carteiras de identidade falsas, e também passaportes falsos para qualquer ponto do mundo.

local original: Grupo de notícias Mednet
nome original: desconhecido
autor(es): Moisés Andrade Júnior
tradutor(es):

 Navegação Rápida