O que é o Avatar?


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Alguns vêem os Avatares como anjos ou deuses encarnados. Outros como espíritos estranhos, visões ou conceitos abstratos. Alguns Avatares demonstram ter um grau inicial de auto-conhecimento e motivação, apesar de não terem consciência ou mente em termos humanos.

O Avatar parecer ser um fragmento de energia Primordial, atado ao estado ciente da alma humana. Alguns místikos teorizam que ele é uma parte dos Puros, alguma das entidades do início da Criação. De certa forma, alguns Avatares mostram possuir uma tendência distinta à certas ações, personalidades e manifestações, e às vezes dois ou mais Avatares compartilham características específicas que levam os magos à acreditar que eles tem algum tipo de relação entre si. Ainda, o avatar tem consciência da alma humana. Arquimagos teorizam que, assim como a inteligência humana permite ao Universo considerar e compreender à si mesmo, o Avatar é a parte Primordial que aprende o truque da auto-conciência da alma.

Cada avatar escolhe uma alma para seguir. Quando alguém morre, o Avatar some por algum tempo, apenas para reaparecer depois compartilhando de uma nova vida. Desta forma, os magos se lembram de "vidas passadas" e seu Avatar evidencia comportamentos influenciados por antigas personalidades. Um mago que morre e retorna de alguma forma encontra-se privado de seus laços com o Cosmo. Cogita-se que màgikas poderosas poderiam trazer de volta um Avatar do lugar onde ele fica "entre vidas", mas a verdade sobre tal feito pródigo continua um mistério. O Avatar aprende da vida, que a morte é a conclusão natural do ciclo.

Com certeza, poucos magos atualmente compreendem a sublime natureza o Avatar, e continuam argumentando sobre suas capacidades. Seria possível o Avatar ser nos dias atuais uma parte de Deus? E se o Avatar realmente for um anjo ou espírito ligado à alma humana! Talvez os antigos deuses tenham encontrado novas moradas quando seus seguidores morerram, tornando-se os patronos e força de seus herdeiros modernos. O conhecimento dos Avatares é tão incompleto quanto os próprios fragmentos Primordiais o são.

local original: Masters of the Art
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es): Kyle
revisor(es):  

 Navegação Rápida