Fabricando um Familiar


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Em termos de jogo, um familiar é semelhante a um fetiche, mas tem a habilidade de usar todas suas capacidades a sua escolha. Ele tem livre arbítrio e, se o mago presenteà-lo com poderes extras (como uma Relíquia, por exemplo), ele pode usà-los também. Dependendo de sua forma, o familiar pode ser móvel, ou pode ter alguma capacidade sobrenatural de movimento.

Como com um fetiche, o valor do familiar depende do poder total do espírito (veja Mago: A Ascensão, Capítulos Três e Nove). Entretanto, observe que um familiar pode ter mais poderes ou conhecimento do que ele comunica ao mago

local original: Mage Storyteller Companion
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es): Dr. Orlando
revisor(es):   Aumentar letras Versão para imprimir Diminuir letras Enviar matéria

 Navegação Rápida  Aumentar letras Diminuir letras Tamanho da Letra