Incarna


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Um degrau abaixo dos Celestinos estão os Incarna. Eles são lacaios, consortes, conselheiros e guerreiros; servem aos Celestinos e extraem poder de seus padroeiros. Alguns deles possuem seus próprios Domínios, mas a maioria dos Domínios que eles habitam foram criados por Celestinos.

Quando os Celestinos morrem, seus Incarna costumam sobreviver. Esses espíritos poderosos procuram por Gnose e propósito. Muitos deles buscam tornar-se Celestinos.

Os totens espirituais são os Incarna com que os Garou guardam mais familiaridade. Esses seres, na maioria das vezes servos de Gaia, podem criar muitos avatares para se comunicar e interagir com o Garou. Os totens de matilha são totens avatares . Os totens avatares assemelham-se a Jagglings em forma e em poder.
Embora os Incarna sejam menos poderosos que os Celestinos, são imensamente vastos e potentes, existindo em muitos níveis. Normalmente, apenas seus avatares podem interagir com eles, embora os Theurges contem lendas sobre grandes videntes que encontraram Incarnas na Umbra e adquiriram uma compreensão mais verdadeira da natureza do poder.

local original: Lobisomem - O Apocalipse
nome original: O Mundo Espiritual
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida