Bestas Míticas


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Os remanescentes míticos, sobreviventes espalhados da Idade Mítica, são aliados ou servos de muitos Desauridos. As vezes invocados, às vezes simplesmente convidados, eles cruzam a Película a partir da Umbra, rumo a lugares selvagens e isolados da Terra.

Sem Quintessência para sustentá-los, estes monstros morrem devido à Descrença dentro de horas ou dias. No entanto, eles podem provocar grandes danos neste intervalo de tempo.

Estas criaturas representam um problema complexo para as Tradições. Alguns, como as mantícoras, são meros animais e devem ser devolvidos à Umbra por piedade, como espécies ameaçadas (ou ameaçadoras). Outros Remanescentes são seres inteligentes com seus próprios poderes, planos, lembranças e aversões. Jigme Doriji, um mago da Irmandade de Akasha, ofendeu uma destas criaturas, um Yeti das Montanhas ou "Abominável Homem das Neves," durante uma batalha no Himalaia. Ele viveu para arrepender-se disso ao encontrar o Yeti refeito na Umbra Rasa.

Estes Antigos frequentemente existem em formas semi-espirituais. Eles não são efémeros, mas precisam ter o corpo de um hospedeiro adequado e preparado para que possam entrar no mundo físico, a não ser que a Película tenha sido rasgada. As variedades mais poderosas podem ir e vir utilizando os seus próprios poderes, percorrendo atalhos como lobisomens. Ambos os tipos precisam penetrar na Película e sobreviver aos rigores da nossa Terra, atualmente hostil, para emergir; e a maioria não acha que a viagem vale a pena. Geralmente, quanto maior e mais extraordinária for a criatura, mais difícil será a incursão.

Criaturas mágikas precisam consumir energia místika (i.e., Quintessência) para sobreviverem em quaisquer lugares que não sejam extremamente isolados. Eles podem ingerir Sorvo, canalizar Forças Primordiais brutas ou absorver as energias de um hospedeiro, mas precisam se alimentar para viver. Estes taumívoros - que incluem os familiares - irão embora ou morrerão se não se alimentarem de alguma maneira. Mesmo quando bem alimentada, exposições excessivas a Adormecidos irão machucar e assustar uma besta mítica. O peso da Descrença é mais forte nas cidades, mais fraco nas áreas rurais e entre fraco e inexistente nas profundezas de áreas selvagens e nos Reinos do Horizonte (onde tais criaturas frequentemente residem).

A Tecnocracia tem as suas próprias respostas para os remanescentes míticos - horrores biológicos planejados que nasceram em laboratórios dos Progenitores ou refinarias de carne da Iteração X. Estas criaturas, com exceção das misteriosas aranhas padrão, possuem uma substancialidade material, não efêmera. Em circunstâncias extremas, a União convoca a artilharia pesada e lança estas criaturas sobre seus inimigos. Isto praticamente nunca é feito onde Adormecidos possam ver a distorção em progresso, mas quaisquer testemunhas são caçadas, sofrem lavagens cerebrais ou são eliminadas rapidamente.

local original: Mago - A Ascensão
nome original: Os Outros Mundos
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida