Uma Visão dos Eutanatos


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Os Eutanatos são considerados popularmente como um culto à morte, com pessoas obcecadas pela morte. Esta visão, mesmo que possa ser levemente justificada, é muito limitada. É limitada porque a maioria dos Magos vê a morte como o fim, algo a ser evitado. Os Eutanatos tem uma visão muito mais ampla da morte. Os Eutanatos acreditam no ciclo de vida e morte e olham para a grande Roda para obter inspiração.

Os Eutanatos acreditam que se você quer construir uma grande estrutura, você precisa limpar as ervas daninhas do terreno antes, para poder fazer uma boa fundação. Quando construindo algo, você destrói outras coisas para obter matérias-primas. Assim, antes da criação deve haver a destruição do que antes estava lá. A maioria dos Eutanatos são grandes colaboradores das campanhas de reciclagem, reutilizando o que já existe para gerar matérias-primas para novas coisas. O lixo deveria ser transformado em composto orgânico para cultivar novas plantas, cujos restos seriam transformados novamente em composto. E como os Eutanatos mesmo dizem, quando você lida com esterco, você tem que estar disposto a sujar suas mãos.

A natureza é cruel. Existe um numero de lugares já definidos em qualquer ecossistema, e assim as partes da natureza que não podem se ajustar ou sobreviver têm que morrer para que seus restos sejam transformados em adubo para que as plantas mais fortes possam se alimentar, e para que os animais mais fortes possam se alimentar destas plantas. Os Eutanatos não conseguem entender por que os Verbena, que acreditam veementemente no aspecto de garras e dentes da natureza, se opõem quando os Eutanatos levam este conceito a uma conclusão lógica.

Existem seres, objetos e lugares que são corruptos, fracos ou que não deveriam existir. A Quintessência ligada a estas coisas está perdida. É muito melhor destruí-las, livrando a energia para a grande piscina Quintessência, para que ela possa ser usada em coisas mais positivas e construtivas. Por exemplo, pessoas vivendo através de aparelhos de suporte à vida estão utilizando recursos sem devolver qualquer coisa em troca. É muito melhor lança-los para uma próxima vida e deixar que seus parentes usem os recursos deles para outros propósitos. Os Eutanatos freqüentemente se vêem como jardineiros que tiram as ervas daninhas que estrangulam o mundo. As outras Tradições sempre tentam melhorar a raça humana. Os Eutanatos trabalham para destruir as forças que levariam a raça humana à ruína. Quando todas as Tradições estavam em guerra, os Eutanatos estiveram nas linhas de frente do novo milênio, e não vão faltar como seu dever, nem hoje nem nunca. Os Eutanatos são só um pouco obcecados pela morte. Eles tendem a trabalhar o lado de destruição das coisas, e deixam o lado da criação para os Verbena e para as Tradições mais construtivas. Eles acreditam firmemente que todos têm sua hora certa de morrer da mesma forma que tem sua hora certa de viver. Eles gostam de assegurar que as pessoas morram nesta hora certa, conseqüentemente sua má reputação vem daí. Os Eutanatos acreditam que todo mundo deveria morrer. Quando as pessoas envelhecem, suas mentes se tornam mais fechadas e a convicção de suas idéias vai em sentido oposto à aprenderem qualquer coisa nova. Quando eles morrem e renascem, o mundo se torna algo totalmente novo, de novo. Mas a sabedoria das vidas passadas é mantida, guardada bem no fundo, no Avatar, e o conhecimento adquirido também fica lá. Através da morte, a mente velha e estagnada é dissolvida. Uma mente nova que acabou de nascer pode trombar com conhecimento e sabedoria de vidas passadas, mas olhar para eles com uma nova perspectiva e sem preconceitos. Alguns também sentem que o processo de morte e de renascimento reata o ser ao grande esquema de existência e concede sabedoria. Conseqüentemente alguns Eutanatos constantemente tentam nascer e morrer diversas vezes. Os Eutanatos também acreditam na purificação do renascimento. Se um mortal foi mau e cruel, matá-lo lhe dá uma chance de recomeçar com a ficha limpa. Alguns Nefandi são tão corrompidos que até mesmo renascer não é o bastante para limpa-los. Há um grupo de Eutanatos que trabalha para ver se mortes múltiplas e diversos renascimentos podem limpar tais almas, ou se são necessários métodos mais horrendos. Alguns Eutanatos acham os vampiros fascinantes, mas os mais sábios entre eles acham que no final das contas estes seres estão estagnados. Cortados dos ciclos naturais de vida e morte, eles estão impedidos de prosseguir. Estes magi têm pena das Aparições e buscam descobrir como retirá-los do lugar onde elas estão presas. A Mortalha e as Regiões Sombrias são parte da Roda, mas ninguém deveria ficar para sempre em qualquer parte da Roda, seja ela Vampiro ou Aparição.

Os magos desta tradição ainda estão debatendo sobre as Múmias. O consenso que se forma lentamente é que o ciclo de morte e renascimento que as múmias sofrem não é uma verdadeira resposta ao ciclo de vida e morte. Múmias são seres estagnados, cortados por uma maldição da glória plena de viver e morrer. Alguns mestres estão trabalhando atualmente em modos de quebrar os encantamentos sobre as múmias e tentar enviá-las de volta para uma morte verdadeira e após isso ao renascimento.

Ironicamente o enfoque na morte lhes dá uma avaliação mais profunda da vida. Os Eutanatos tentam instilar em seus aprendizes uma noção real do que eles estão tirando dos outros, de forma que eles só podem retirar essas vidas se isso for correto. Tudo ter que morrer em seu devido tempo significa que tudo tem que viver no seu devido tempo. Morrer antes da pessoa estar pronta para a morte é uma tragédia muito maior que manter uma pessoa viva algum tempo à mais. Mais de um assassino serial já se encontrou com um Eutanatos que o caçava, impedindo que mais mortes prematuras sujassem o mundo. Os Eutanatos sabem que se mantêm na extremidade da morte, e que a morte pode vir a qualquer hora para eles. A maioria dos Eutanatos se certifica que eles estejam prontos para morte da mesma forma que eles a distribuem para outros. Eles não gostam de manter relacionamentos por muito tempo com qualquer coisa ou pessoa, pois sabem que eles podem morrer e deixar laços para trás. Aqueles que os fazem, freqüentemente se asseguram para que se eles não se tornem completos nesta vida, tentando resolvê-los em uma próxima encarnação. Muito deles freqüentemente se encontram realizando ações estranhas para compensar dívidas ocorridas em vidas passadas. Eles também tendem a viver para o agora, enquanto se asseguram para que suas ações se ajustem com o passado e com o futuro. Eles terminam as linhas do passado, de forma que linhas novas possam ser lançadas em direção ao futuro. Considerando que a morte pode leva-los a qualquer hora, eles vivem suas vidas de forma completa. Os Eutanatos são encorajados a aprender sobre suas vidas passadas, ver o fluxo da história, para que suas ações de agora não repitam os erros do passado. Jovens Eutanatos freqüentemente perdem de vista seus propósitos mais altos e confundem os fins com os meios, acabando geralmente como vítimas. Os Eutanatos policiam a própria Tradição muito mais cruelmente do que eles policiam o mundo. Eles estão muito atentos ao fato de que é fácil ser pego na armadilha de se tornar um assassino casual, ou se tornar totalmente obcecado com a morte a ponto de se esquecer da vida. Mais de um Eutanato já foi destacado para uma missão suicida para que pudesse passar para a próxima encarnação e ter mais sorte da próxima vez.

Muitos acreditam que os Eutanatos estejam ligados à Wyrm ou aos Nefandi. Nada poderia ser mais mentiroso. Para um Eutanato, um depósito de lixo tóxico é corrupção pura, e precisa ser destruído de forma que algo mais merecedor possa ser colocado em seu lugar. Os Nefandi que buscam aniquilar tudo querem corromper o ciclo natural de destruição e criação. Para um Eutanatos, esta é uma heresia da ordem mais alta. Eles têm consciência de que estão mais próximos de se tornarem Nefandi do que qualquer outra Tradição. Eles se policiam neste ponto de forma muito mais brutal do que as outras Tradições os monitoram. Como a mancha de ter se tornado um Nefandi passa de uma encarnação para a próxima, eles tomam um cuidado extra, assegurando-se que o menor número de Avatares possível sejam envenenados. É melhor matar alguém quando ele cai em de tentação para que seja purificado na próxima vida, do que fazer isto depois que eles se torne um Nefandi completo e envenene seu Avatar por toda a eternidade.

Eles executam este dever para as outras Tradições de forma exemplar, e isto às vezes leva a enganos e até a algumas tragédias, especialmente quando a inocência é provada após morte. Mas os Eutanatos sentem que o Avatar retornará em outra vida, e assim podem esta nova vida a se tornar um Mago. Mesmo assim, Eutanatos que matam e que depois descobrem seu engano terão uma dívida para sempre com a alma reencarnada. Mais de um Mago novato foi salvo por um Eutanatos que estava tentando pagar tal dívida.

Os Eutanatos acreditam na Ascenção pessoal, no esclarecimento. Eles falam com as Aparições sobre a Transcendência, e acreditam que a Transcendência é para os mortos a mesma coisa que a Ascenção é para os vivos. Eles acreditam que todos tem que passar pelos ciclos de vida e morte, lentamente acumulando sabedoria e conhecimento, até estar pronto para Ascender (ou Transcender). Se eles não Ascenderem enquanto vivo, eles podem alcançar a Transcendência quando as ilusões do mundo forem despojadas pela morte. Eles viram Magos que não ascenderam, mas eram muito poderosos para morrer, estagnando e apodrecendo, se tornando um estorvo para a Ascenção de outros. Muitos destes Magos são mortos pelo Eutanatos que lhes desejam uma sorte melhor para Ascenderem da próxima vez. Infelizmente, as outras Tradições não parecem ter a mesma atitude de boas-vindas para morte dos Eutanatos e freqüentemente entendem mal a nobreza das ações desta Tradição. Mas os Eutanatos não têm qualquer real concepção de Utopia, diferente da Ascenção/Transcendência eventual de todo ser humano. Eles na verdade têm muito em comum com a Irmandade de Akasha, que pode talvez explique porque as duas facções lutem tão amargamente. Os Irmãos focam uma vida adequada, enquanto os Eutanatos focam uma morte adequada e como chegar a ela

local original: Anders Mage Page
nome original: A View of the Euthanatos
autor(es): Martin Terman
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida