Filhos do Éter


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


As Origens:

A história desta tradição se funde com a da Tecnocracia e com a dos Adeptos da Virtualidade. Ambas as Tradições se formaram quase ao mesmo tempo, por volta de 1860, na época da mudança Tecnocrática. Os Filhos do Éter derivam diretamente da Convenção dos Engenheiros Eletrodinâmicos. Porém, eles queriam uma Ciência melhor, mais pessoal, para o aperfeiçoamento e não para o controle do mundo. Então, logo após a virada do século, para diminuir a influência dos Eletrodinâmicos, a Tecnocracia desacreditou o Éter que, segundo os Eletrodinâmicos, era a essência da qual todas as coisas são feitas. Isso causou, em 1904, a deserção dessa Convenção para o Conselho. Eles foram prontamente aceitos, pois praticamente desde sua fundaçao, o Conselho dos Nove contava com apenas oito membros. A cadeira da Matéria estava vazia, e foi prontamente aceita pelos Engenheiros, que passaram então a ser os Filhos do Éter.

O que eles querem:

Devido ao seu maior tempo de Conselho, os Filhos são menos rebeldes que seus primos Adeptos da Virtualidade. Seus ideais são otimistas, eles são os magos mais otimistas do Conselho, mesmo não se considerando Magos e sim Cientistas. Eles dedicam seu tempo a inventar coisas, para seguirem seu lema: "Vida melhor por meio da Ciência". Para eles, uma teoria está sempre certa, se quem a formulou acredita nela. Sua ciência é bem mais pessoal, íntima, do que a dos seus ancestrais Tecnocratas. Eles não querem impor essa ciência à humanidade; eles preferem que cada Adormecido tenha sua própria Ciência. Talvez seja por isso que seus focos (suas invenções) só funcionam com eles mesmos, ao contrário dos Dispositivos Tecnocratas.

local original: desconhecido
nome original: deconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es):

 Navegação Rápida