O Estudo de um Caso de
Neurofilosofia Experimental


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


A agulha penetrou suas estruturas mais profundas, e Reio se rendeu ao prazer quando ela atravessou seus núcleos de prazer. Mas ela continuou, deixando a zona do prazer e causando uma série breve de espasmos em sua face, até que finalmente alojou-se em seu hipotálamo. O mundo tornou-se vermelho de calor e ódio, e Reio gritou a raiva que sentia de seus captores como uma corrente de sangue fervendo, tentando jogar-se sobre eles sem nenhum efeito. Imóvel, um deles escolheu uma outra agulha e começou a uní-la ao quadro estereostático em volta de sua cabeça. "Use a aproximação rostral para esta. Nós não queremos tocar os núcleos intertalâmicos" alguém atrás dele disse.

Enquanto a operação continuava Reio começou a "sair do ar", a aceitar as mudanças repentinas de suas emoções e personalidade com uma aceitação amável. Pelos menos até eles ativarem uma última agulha em sua amígdala esquerda; de repente a situação tornou-se clara, como se tudo tivesse sido congelado em um bloco de diamante. Soube e compreendeu que estava preso com correias em um exoesqueleto imóvel de metal, um quadro estereostático estava parafusado em seu crânio, seu cérebro estava aberto à mercê de seus captores e gradualmente estava se transformando em um alojamento para as finas agulhas de prata ligadas à equipamentos eletrônicos. A pior coisa era que não sentia qualquer coisa - nenhuma raiva, nenhum medo, nenhuma dor, nenhuma outra emoção. Apenas um sentido frio de certeza.

"Sente-se um pouco melhor?" a voz ao seu lado perguntou. Ele não respondeu nada.

"Você sabe o que é o sistema límbico? " a voz disse, movendo-se para sua direita. Ele ergueu um braço coberto por pano verde e ajustou alguns dispositivos. "Eu estou controlando seu sistema emocional e motivational por completo agora. Eu controlo suas sensações. Sua vontade. Até mesmo seus impusos". A mão torceu um seletor, e Reio foi preenchido de repente com o desejo, desejo insaciável. Quis escapar e transar com todos que encontrasse, até cair como um animal inconsciente. Mas então a mão torceu um outro seletor, e o desejo tornou-se medo. Estava completamente à mercê de seus captores, e que claramente não se importaram com ele mais do que os ratos brancos que ele tinha visto no quarto ao lado. Quando terminarem com ele, sairiam apenas dali, e deixariam seu cérebro exposto para gradualmente morrer e apodrecer...

Uma nova torção, e tudo estava claro outra vez. "Viu? A emoção consiste apenas de um componente cognitivo. Eu posso mudar, e tornar toda a emoção em qualquer outra coisa. Eu posso mesmo desligá-la completamente, embora lhe falte a motivação para fazer qualquer coisa." A voz moveu-se, e desta vez ele viu sua origem. Era um homem baixo vestido como médico, com grandes olhos brilhantes que lembravam a Reio os de um coelho da Disney.

"Se você fosse um tanto mais motivado, você me perguntaria porque eu estou fazendo isto." Reio não se importava mais com isso. Quais seriam as minhas razões? Sabê-las não mudaria em nada sua situação".

"Eu quero fazer-lhe uma pergunta. Veja, eu sempre quis saber sobre a consciência, a mente, a emoção. Elas seriam apenas sinais e padrões bioquímicos, teriam informações dentro de si, ou existiriam em um nível diferente de seus aspectos físicos? Como nós poderíamos saber? Eu quero encontrar-me com o consciência , meu garoto. Eu estou removendo seus sentidos, suas emoções, sua personalidade, tudo, exceto sua mente e sua consciência. E quando eu fizer isso, você será apenas Consciência - a grande e indivisível consciência, que pode ser inerente em cada pedaço ou em toda a matéria. Você compreende?"

O investigador começou a ajustar o equipamento. O sentido da realidade aprofundou-se, até que se tornou quase doloroso. Mas quando um outro seletor com a inscrição "cing.. gyr" foi girado, Reio de repente não se importou com a agonia que sentia. A sensação de estar peso ao exoesqueleto de metal desapareceu junto com o sentido de sua posição. Até quando as mudanças em sua mente terminaram. Nada mais fazia sentido. Ele existia apenas. As idéias do investigador eram "furadas", ele percebia isso. Não eram consistentes, eram apenas uma desculpa para experimentá-las nele. Eram uma parte dele, como tudo mais. Eram uma parte dele, como de todos os outros. Um fragmento do todo tentando compreender um outro fragmento .

"Bem, é hora de começar a segunda metade da experiência. Remova seus processos cognitivos e dê-lhes 80% de motivação. Vamos ver que Realidade ele quer realmente... ".

local original: Anders Mage Page
nome original: desconhecido
autor(es): Anders Sandberg
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida