Ciborgue


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Tecnologia de Hiperinteligência

O Presas de Prata pede que os outros o acompanhem. O barulho que vem de cima da casa faz o jovem imaturo lembrar de onde poderia estar morta, Jaqueline sua irmã mais nova. Batidas compassadas são ouvidas por toda matilha, que resolvem seguí-las. Os passos cessam-se quando o garou atinge a fechadura da porta: "Este é o quarto dela. O lugar onde ela mais gostaria de estar quando morresse". O cheiro podre invade seus sentidos queimando seu olfato, o corpo parece tremer quando abre a porta.

O ar pesado faz o olho lhe arder, a fúria torna-o vermelho enquanto leva as mãos para esfregá-los. Do outro lado do quarto fúnebre o ser meio lobo-chacal apanha Jaqueline de cima da cama, coloca o corpo em decomposição em baixo do enorme braço e salta pela janela levando metade da parede consigo. Os lobisomens correm inutilmente atrás da familiar morta e da chave para selar o apocalipse. No colar que Jaqueline usava, a cintilante Pedra da Lua era mais uma vez perdida por gerações.
Algumas histórias depois...

Uma criatura encapuzada dirige-se aos jovens garou pronta para destruí-los. A weaver mostra então sua face metalizada em forma de Jaqueline, seus olhos azuis triunfantes pela vitória que conseguirá contra aqueles que não conseguiram salvar-lhe um dia a vida humana, restando-lhe agora parcela desta. A capa caindo em um dos ombros escondendo todo o metal que tomou parte de seu corpo antes em decomposição.

O Presas de Prata coloca os objetos ritualísticos ao chão e corre para abraçar a irmã que tanto desejava em reencontrar - mesmo que fosse seu cadáver. "Foram meus uivos à Dana que fizeram com que encontrasse Jaqueline".
VOI no. 3 estende o outro braço que estava em baixo da capa, seu cabelo loiro viaja com o vento estéril do reino eletrônico, a mira infra vermelha passeia pelo seu visor intra-ocular, seu primium energiza-se por frações de segundo e lança em direção de seu irmão o mais mortal dos raios de força. O de um HIT MARK V.

A Tecno-Guerra
Criação de Personagem
Classes de Ciborgues
Ciborgues Rebeldes
Diretrizes
Observações Finais/Glossário

local original: Page of Mirrors
nome original: Ciborgue
autor(es): desconhecido
tradutor(es):

 Navegação Rápida