Apresentações do Cabaré da Meia Noite


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


O Cabaré usa todas as possíveis ferramentas para criar sua ambientação, o que inclui complicados efeitos mágikos, aparatos mundanos, membros da sua "Galeria dos Anormais" e os artefatos do "Armário das Curiosidades". Muitas dessas criaturas e itens teriam sido destruídos pelo paradoxo, não fosse pelo fato do Cabaré drenar Quintessência para alimentar as suas anomalias, e por seus visitantes estarem cientes do que encontrarão lá, ou ao menos acharem que estão.

O Armário das Curiosidades consiste em uma pequena sala, onde estão vários itens relacionados à tortura e à morte. Entre eles, está uma guilhotina à qual se atribui a decapitação da rainha Maria Antonieta, uma Dama de Ferro usada na execução de cerca de 300 homens e mulheres, o crucifixo de Rasputin, e uma pintura de autoria desconhecida, supostamente de Hieronymus Bosch. No total, existem mais de duzentos itens no Armário, de várias partes do mundo e de várias culturas diferentes. Historiadores e Antiquários questionam a legitimidade desses itens, mas oferecem fortunas para tê-los.

[Tais itens são verdadeiros. Membros (auxiliares) do Cabaré oferecem descrições detalhadas dos itens para os visitantes. Esses itens estão sempre sob o efeito de Mente 2, para que a audiência fique cada vez mais obcecada com eles, às vezes até roubando-os. Uma vez tomados do Cabaré, os itens começam a demonstrar seu lado negro.]

Um dos chamados "Anormais" mais vistos nas apresentações do Cabaré é o Masoquista. Vestindo nada além de uma sunga, ele caminha seminu pelo público do Cabaré, com alfinetes cravados no pescoço, grampos em seus braços, e agulhas por toda a superfície da sua perna. Em seus shows, o Masoquista implora para um escolhido do público que introduza longas agulhas em seu estômago, até onde ele consiga agüentar. Inicialmente, os escolhidos resistem à idéia, mas a persistência do Masoquista é tamanha que ao fim muitos cravam agulhas por todo o corpo dele. Ocasionalmente, pequenas agulhas são introduzidas nos olhos do Masoquista pelos escolhidos, nos dias de maior movimento. É o ápice do seu show, geralmente.

[Usando efeitos de Mente 2, o Masoquista lentamente reduz a relutância da platéia à infligir dor.]

Em outro lugar qualquer, sentado em um pequeno trono, numa grande caixa aberta, está um homem coberto por larvas de inseto, conhecido como "Rei das Larvas". Uma criança deformada, o Rei das Larvas não possui membros desenvolvidos, mas sua mente vai bem além do normal para um desperto. As larvas obedecem-no. O Cabaré não justifica como isso é feito, meramente dizendo para o público que descubra por si mesmo. Muitas vezes, a audiência irá começar a ridicularizar e humilhar o Rei das Larvas, obrigando-o a alimentar-se da sua "corte".

[Efeitos de Mente 2 transformam a reação de repúdio inicial em arrogância, levando o público à ridicularizar o Rei.]

Dentre os truques de palco, o mais popular é o da "Ressurreição". Tipicamente, Harding escolhe um voluntário da platéia, de preferência uma mulher atraente, e pede para que ela suba ao palco. Uma vez lá, Harding irá vendar os seus olhos, e cortará a sua barriga com uma espada ou instrumento semelhante. A audiência fica aterrorizada, com a mulher caindo ao chão. Mas Harding pedirá calma, e com um estalo dos dedos, a mulher escolhida levantará.

[Durante o feitiço, a voluntária escolhida é morta, e o seu corpo é possuído por um espírito Nefandi, Xane . Além disso, efeitos de Mente 2 são usados para reduzir a sensibilidade da platéia quanto ao assassinato. A escolha de uma mulher também é proposital, servindo para mostrar que "a violência contra mulheres é aceitável".]

Morlock também apresenta um truque de palco, conhecido como "O Parto dos Vapores". Para começar o ato, toda a sala é mundanamente coberta por uma névoa artificial, e a platéia mal pode ver algo. Então Morlock pede a atenção de todos, e começa a cantar em Sumério antigo. Logo todos começam a ouvir gemidos, vagos e distantes inicialmente, mas que vão se tornando mais claros e barulhentos. Neste momento, imagens espectrais de pessoas mutiladas surgem em vários lugares da platéia, alguns em cadeiras vazias, outros apoiando-se nos espectadores. Morlock ordena que os espíritos desapareçam daquele lugar, mas isto apenas deixa-os mais furiosos, gritando e ameaçando devorarem a platéia. No último momento as luzes se acendem, e os espíritos desaparecem.

[Na verdade, o canto em Sumério, a névoa e a tentativa de evocar e comandar os espíritos são falsas. Quanto os espíritos em si, Morlock já os têm sob seu comando, e o desejo deles não é nenhum além de corromper as almas dos vivos. Ao realizar essa performance, Morlock usa Mente 2 e 3 para enfraquecer a vontade da platéia, tonando-os mais suscetíveis à corrupção e à possessão pelos espíritos.]

O ato favorito de Harding é aquele chamado "O Profeta", e é uma das mais violentas performances do Cabaré já vistas. Inicialmente, Harding adverte o público sobre este ato, dizendo que será um ato de extremo erotismo, e que eles podem ir embora se assim desejarem. É claro que este aviso não faz nada além de aguçar a curiosidade da platéia, e o seu desejo por carnificina. Então uma mulher, completamente nua, é trazida ao palco, parecendo hipnotizada, e deitam-na numa mesa simples, de ferro. Logo após surge detrás das cortinas um homem, também nu, mas usando um capuz ou máscara. Muitos na audiência esperam apenas uma cena de sexo oral neste momento. Pelo contrário, o homem começa a introduzir seu braço na garganta da mulher.

O show continua lentamente, à medida que o homem introduz-se pela boca da mulher. Uma vez completamente dentro da mulher, a barriga desta começa a contrair-se, até o momento em que o homem emerge, coberto por sangue, do meio das pernas dela, numa paródia bizarra de um parto. Além disso, o homem já não mais é humano.

[Além de satisfazer os desejos secretos de Harding, esse ato, ou melhor, este ritual, serve para renascer uma pessoa como um Nefandi. A mulher, sempre uma prostituta, é drogada e ritualmente preparada para hospedar a Coifa Nefandi do Cabaré. O renascido é "abençoado" pela Wyrm, e torna-se mais um membro da sempre crescente "Galeria dos Anormais". Como de costume, mágikas de Mente 2 estimulam a mente da platéia a aceitar a cena, corrompendo-os ainda mais.]

O Cabaré também apresenta atos mundanos, mas sempre com a adição de algum elemento visual chocante, e alguma deturpação. Entre esses atos, cortar uma mulher ao meio com uma moto-serra. Outro ato comum é cortar Harding ou Morlock em três pedaços, e cada seção mover-se individualmente, ou segurar um objeto da platéia. A imagem de um homem dividido em três e cada parte mexer-se é altamente incômoda para a platéia. E é claro, cada um desses atos é repleto de sangue. E nem sempre é sangue falso.

[O Cabaré apresenta esses atos mais "mundanos" geralmente quando está sob a observação da Tecnocracia, ou para impressionar ainda mais uma platéia. Quando se sentirem seguros, o Cabaré continuará a usar suas mágikas para corromper a mente e a alma das massas, e também apresentar seus espetaculares atos de prestidigitação.]

local original: Anders Mage Page
nome original: The Midnight Cabaret
autor(es): Shelby Babb
tradutor(es): Mr Ramuh

 Navegação Rápida