O ritual da Morte 


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


A morte é uma transição para os nefandi. Quando uma pessoa morre ela se torna mais próxima ao grande vácuo que o mundo é na realidade. O submundo é o lar das almas penadas e é lá que mesmo as almas mais apegadas a suas ilusões terrenas encontram sua libertação. Conforme o vácuo e a tempestade crescem em direção a terra mais e mais o objetivo final dos magos corrompidos se aproxima. Os rituais da morte estão entre os mais importantes dos nefandi, e quase todos os magos os realizam com freqüência .

A morte é a liberação de almas para o abismo, o assassinato é a forma mais sagrada de ritual nefandi, quanto mais cruel e mais violento for o assassinato mais útil ele será. Uma morte especialmente violenta cria uma alma penada, e apesar desse tipo de alma não ser o ideal para alimentar o vácuo, as sombras que se libertam dessas almas engrandecem o exército do abismo. Os assassinatos nefandi quase sempre culminam na criação de um espectro. Durante os homicídios normalmente são escritas runas ou mesmo uma pequena oração é feita em nome do nada. O assassinato por si só já é um ritual para os decaídos. Matar uma pessoa não é uma tarefa fácil, exige muita coragem e principalmente uma moral deturpada. Os decaídos procuram incentivar o maior número de homicídios como forma de quebrar a alma das pessoas. Para cada pessoa morta mais uma parcela da realidade foi derrubada. Abortos, assassinatos e eutanásia são práticas comuns. Os nefandi usam a morte de um amigo próximo para incentivar uma vítima a buscar vingança e, colocando a culpa em outrem, criam guerras que terminam em grandes ciclos de morte e destruição, em que cada morte fortalece o grande vácuo.

Matar uma pessoa a sangue frio e de forma violenta é algo que poucas pessoas tem coragem, ao incitar esse tipo de reação um nefandi consegue acabar com a mente e a alma de sua vítima. Os fantasmas que decorrem de uma morte são duros e longos podendo levar pessoas a loucura . Os rituais da morte têm também uma função mística que se conecta diretamente ao vácuo. A tempestade dos mortos se alimenta de almas e do desespero causado pela morte, cada morte causada por um nefandus cuja energia não seja aproveitada para nenhum propósito é enviada para o submundo. Mortes em massa podem até mesmo liberar desespero o suficiente para criar turbilhões ou revoluções dentro do submundo. Muitos nefandi utilizam essa energia liberada junto com a morte em seus ritos. Sacrifícios são um dos focos principais para que se possa trazer criaturas do vácuo de volta a vida. Para cada pessoa morta uma pode aproveitar a energia para ser trazida a vida. Os rituais de morte são focalizados de forma extremamente simples, nada além de um athame e pequenas canções sem sentido aparente é necessário para uma conjuração Nefandi. A energia da morte também pode ser canalizada em todo seu desespero para afetar a mente de uma vítima, uma última palavra sussurrada para o objeto sacrificado, o nome da vítima, faz com que a energia de usa morte seja transmitida diretamente para a psique da mesma. Em conjunto com rituais de sangue nefandi já corromperam famílias inteiras ao matar um membro da família e lançar a morte sobre todas a gerações. De loucura até desconfiança já foram criadas por um destes ritus negros. O texto de introdução mostra um ritual de morte sendo utilizado. O corpo de um membro da família é lançado a morte enquanto dois alvos sofrem sua influencia. Nefandus normalmente sabem controlar as reações de seus alvos ao ver o corpo de suas vítimas. Posições e elementos visuais são escolhidos como uma arte para causarem o efeito certo.

Apesar da abordagem sutil dos nefandi, muitos dos seus maiores ritus passam dos limites da vulgaridade. Esses rituais utilizam-se dos corpos das vítimas ou mesmo de suas almas. Os ritus de morte muitas vezes são criados para utilizar os corpos como massa de construção. Seres feitos a partir dos cadáveres são comuns guardando capelas, esses seres são alimentados pelo desespero e a dor de vítimas de outros rituais. Seres podem ser sacrificados para dar sua vida para o vácuo contido nesses seres, sangue pode lhes ser introduzido ou mesmo a dor de vítimas pode alimentar o vortex. Normalmente essas construções são a última defesa de uma capela e são poucas as criaturas que conseguem destruir seus corpos a ponto de realmente incapacitaram-nas. Não existe forma de se matar uma coisa que já está morta, por isso esses seres têm que ser reduzidos a trapos para deixarem de atacar invasores. A necrosíntese é um processo comum entre os nefandi e eles utilizam o vácuo dentro de suas vítimas para moldar novos corpos ou mesmo regenerar e curar seus aliados. Os rituais de morte muitas vezes são utilizados em conjunto com outros rituais. Eles são a verdadeira arte aperfeiçoada pelos decaídos.

Focos comuns para esses ritos incluem: Facas rituais, espancamento, afogamento , incêndios, venenos, hemorragias causadas por rituais de sangue, canibalismo e qualquer causa de morte.quanto mais violenta melhor.

local original: Page of Mirrors
nome original: Nefandi
autor(es): Kaworu Naguisa
tradutor(es):

 Navegação Rápida