A Corrupção de um Mago


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Alguém, já se perguntou por que um mago normal , não um Widderslainte, (Tecnomago, Magos da Tradição ou Órfão) se tornaria barabi? Como você seduz alguém para entrar no Caul? Basicamente, como você faz para tornar um Nefandi atraente para alguém tem um Avatar corrompido? Aqui eis um exemplo:

Ele era um Adepto da Virtualidade com Essência Primordial. A sua crença era a de que toda informação deveria ser gratuita e livre de censura ou restrições, e que todas as coisas simplesmente eram informação quantificada. Mas por mais que ele tentasse tornar a informação gratuita, o máximo que conseguia eram coisas fúteis e insignificantes.

Nunca era "grátis", era acessível, mas era estática, não mudava ao ser distribuída amplamente. Nem mesmo era livre de subjetividade. Ele via a mesma coisa em todos lugares ao longo da Realidade, assim ele se aprofundou na Teia Digital, era informação livre, ou assim lhe foi dito, onde qualquer coisa era possível. Tudo o que ele encontrou lá, foram as idéias de outros que lá estavam, e que rapidamente diminuíam as áreas ainda livres.

Então ele encontrou um Domínio na Rede que constantemente estava se renovando, nunca do mesmo modo, informação que estava livre, achando novas permutações. O Engenheiro do Vácuo Barabi que regia a área iludiu o jovem mago e lhe contou os planos dos seus Senhores da Umbra para remover o abominável, obrigando conceitos de forma, definição e subjetividade ao mundo, devolvendo-o a seu estado natural, livre. Nada deixaria de estar livre.

O Adepto da Virtualidade ficou atraído à esta filosofia, e espalhou-a entre seus contatos. Ele atraiu muitos Cultistas do Êxtase, que eram contra a censura e a moralidade forçada, Filhos do Éter, procurando pela teoria que iria completar sua Décima Esfera e Herméticos que buscavam todas as formas por detrás da Realidade.

Isto veio a lhe trazer muitos problemas, alguns magos perceberam a verdadeira intenção por detrás destes ideais. Rejeitado e caçado por seus iguais por causa de seus ideais, o Adepto seguiu para seu único consolo: o Decaído, que simpatizou e compadeceu-se dele. A partir daí, ele formalmente juntou-se à ele em sua busca para fazer com que o estado de decadência se torne inevitável.

local original: Anders mage Page
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida