O Bolo do Mal


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Os jogadores estavam tentando se infiltrar em uma Associação de Moradores em Stocksund, um subúrbio bem rico e conservador (tinham que proteger um nodo local). Eles precisavam de uma casa. Depois de um pouco de ajuda de um estranho misterioso (que podia ser um Tremere, Anjo ou Demônio. Ninguém sabe...) eles tiveram a chance de comprar uma casa. Onde conseguir o dinheiro?

Dr Sallai, um hermético, foi até seu santuário, e convocou Shax, uma Imperatriz Demônio da Classe Menor de Solomon. Esta manifestou-se como um pombo que falava com uma voz rouca (como um chefão da Máfia de um filme ruim).

-Seja bem vinda, ó grande marquesa!

- Por que você me convocou?

- Eu quero que você roube dois milhões de coroas da Tesouraria Real, como descrito na Clavicula Solomonis!

- Certo? E o que você dará em troca? (pausa leve)

- Eu lhe darei a casa que comprarei com o dinheiro, depois que eu e meus amigos nos mudemos.

- É pouco!... Eu exijo algo mais... eu botarei um ovo, e você dará ele para uma pessoa comer.

- Nesse caso jure não prejudicar o jovem homem e a sua esposa e a mulher negra que usa coisas mortas como se elas estivessem vivas!

- Eu juro por tudo que é profano! Agora abra o Triângulo e me deixe sair!

- O Profano não respeita juramentos! Jure pelo anjo!

(muito agitada) - Eu nunca irei jurar por qualquer anjo amaldiçoado!

- Neste caso, jure por seu Senhor, Azazel.

- Sim, eu juro por meu Senhor Azazel, Demônio do Bode Expiatório e do Solo Improdutivo, que lhe darei dois milhões de coroas em troca da casa e do ovo que você dará para alguém comer, e não prejudicarei nenhum homem ou mulher contanto que eles morem na casa. Agora me liberte!

- Ótimo. (elevando os braços) Parta e roube o dinheiro do Rei!

A pomba botou um ovo, lançou vôo e desapareceu. O mago colocou o ovo, cercado por velas e cruzes na despensa, cuidadosamente. Na manhã seguinte o que foi chamado um "erro de computador" depositou dois milhões de coroas na conta do Dr Sallais...

Tudo corria bem, mas Dr Sallai começou a perceber seu problema. Ele não queria dar o ovo para ninguém, enquanto Shax o seguia discretamente. Ele teve uma idéia: o pacto não dizia nada sobre para qual "tipo" de pessoa ele deveria dar o ovo. Talvez um demônio o aceitaria? Assim ele chamou Leraije, supostamente o inimigo de Shax. Leraije manifestou como um caçador com roupas verdes, com arco e flechas.

- Bem-vindo, o grande duque!

- Por que tu me chamaste?

- Você é um inimigo da grande marquesa Shax?

- Isso são os rumores, mas sim.

- Ela me deu este ovo e pôs uma parte de seu poder nele. Eu dou ele para você (exibindo o ovo. O demônio não o pega).

- Não, eu não posso pegar isto. Pertence a Shax, e se eu o pegasse isto seria uma afronta a Azazel. Você quer me fazer insultar o Demônio do Solo Improdutivo, mortal?

- Não, claro que não. Mas eu posso dar isto para qualquer outro ser?

- Só os humanos seriam estúpidos o bastante para aceitá-lo.

- Os pequenos demônios ou os gnomos não o levariam?

- Eles podem ver o poder de Shax dentro dele. Não, você tem que dar isto a um humano... mas eu posso ajudá-lo. Se você me dizer o nome da pessoa que comerá o ovo, eu posso intervir. Eu faria isto de bom grado.

- De Acordo, grande duque. Que assim seja!

Dr Sallai pensou sobre isto. A situação não estava muito melhor, mas pelo menos ele tinha dois demônios opostos envolvidos. Depois de pensar um pouco ele decidiu tornar o ovo um pouco mais fácil para alguém comer. Ele, e seu filho, prepararam um bolo a partir do ovo usando utensílios de cozinha consagrados no círculo. O resultado final foi um bolo completamente normal... falando fisicamente. Ele colocou isto dentro de um círculo de proteção dentro da despensa.

Depois de uma semana, ele não tinha encontrado qualquer pessoa má ou corrompida o bastante para merecer o bolo. Ele começou a perceber que ele realmente não queria dar isto para ninguém, depois de fazer um pouco mais pesquisa sobre ovos demoníacos e seus interiores. Ele percebeu que estava preso à esta situação. Para piorar as coisas, o resto da cabala descobriu isto. O Corista sentiu algo, e caminhou até a despensa (onde o resto da comida estava se putrefazendo) "Dr Sallai, por que você está tentando se proteger deste bolo? Você está fazendo dieta? Este bolo é MAU!" Naturalmente, os moradores da casa ficaram mais calmos quando souberam que segundo o pacto estavam todos protegidos do demônio, até mesmo a criança que estava para nascer...

Depois de pouco tempo, a cabala conseguiu deixar o nodo seguro. Dr Sallai percebeu que eles não precisavam mais da casa, e conjurou Shax. Shax apareceu

- Por que você não deu o bolo para ninguém? Quase que meia lua se passou desde que nós fizemos o pacto!

- Ó espírito infernal, este foi um pacto malévolo e demoníaco!

- É claro, mas ele só foi assim por que você quis fazer ele primeiro!

- Eu lamento isto, e rezo a Deus que Ele me perdoe por minha tolice!

- Hipócrita! Você quer quebrar nosso pacto!

- Sim, devolva o dinheiro a seu legítimo dono, nosso Rei amado! (colocando uma coroa no bolo)

- Não fui "Eu" que quebrei este pacto, mas "você"! Saiba que os demônios mantêm sua palavra por muito mais tempo do que aqueles que se autodenominam cristãos..

- Então eu te expulso em nome do Senhor Yud-He-Vau-He! (jogando água benta em forma de cruz no demônio que desesperadamente sobrevoava ao seu redor. De repente o corpo da pomba caiu morto. E o bolo começou a perder a forma)

Enquanto isso, os outros habitantes da casa estavam dormindo... até que de repente todas as vidraças da casa explodiram em fragmentos. A cozinha explodiu, e as estátuas no jardim cairam e quebraram. Eles tiveram que passar o resto da noite com o corpo de bombeiros... Bem, vem fácil, vai fácil...

local original: Anders Mage Page
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es): Winter

 Navegação Rápida