Casa Ex Miscellania


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Nomes (adicionalmente aos nomes individuais de cada casa): Ordem da Miscellania, "misc"mages, Hodgepodge , Casa da Salada, Plebe.

Um conjunto de diversos magos sem relação alguma, a Casa ex miscellania compõe-se dos últimos sobreviventes de casa hoje defuntas junto com alguns magos forasteiros que se juntaram a ordem para ganhar proteção. Diferente de outras casas, que se especializam em recrutamento, defesa, pesquisas e etc... os magos da Miscellania não servem a nenhuma função formal dentro da ordem. Apesar disso, "misk" mages individuais comandam poderes desconhecidos pela Tradição como um todo. 

Com toda sua variedade, a história da fundação da casa foi localizada apenas após dramáticas pesquisas. Em 816, Maga Pralix, bani tytalus, juntou muitos magos ingleses independentes para destruir um vingativo necromancista chamado Dabv'nalleous. Após vencer, Pralix declarou-os Ordem da Miscellania. Num primeiro impulso eles planejaram uma campanha contra a própria ordem de Hermes, porém mestre Trianoma convenceu-os a tornarem-se uma casa ao invés. 

A composição do Hodgepodge tem mudado aos poucos durante os séculos. Nos dias iniciais da tradição, Miscellania sofreu viradas rápidas. Algumas das casas originais que possuíam pouco poder político (Criamon, Jerbiton e Merinita) foram absorvidas durante a grande convocação (que formou o conselho dos nove) e permanecem até hoje. Outras deixaram miscelania e se juntaram a outros grupos. Os Bjornaer, uma casa germânica de magos metamorfos(agora mortos), passaram pouco mais de um ano na casa depois saindo para se juntar aos verbena. 

Nos séculos que se seguiram, Ex Miscellania mudou menos radicalmente. Durante o encolhimento, ela absorveu os restos de outras casas; neste século ela também recebeu poucos refugiados da tradição perdida dos Ahl-ih-Batin. 

Herméticos de outras casas algumas vezes denigrem a imagem da Ex Miscellania; no geral, porém, a Ordem considera a casa uma aquisição valorosa. Provendo contrapartes herméticas para as outras tradições, ela demonstra o triunfo da filosofia Hermética. Os diversos membros da casa se utilizam de quase todos os Práxis imagináveis, todos com um pequeno toque hermético. Realmente esta casa possui um fraco poder político porém seu tamanho e idéias inovadoras fazem de Miscellania uma arma secreta na luta pelas mentes adormecidas. 

A maioria dos "Miskers" são sobreviventes de quatro casas herméticas. 

Criamon: Profetas, vindentes, "mergulhadores nas águas do tempo", estes visionários tatuados se especializam em Ars Temporis, mentis e Manium. Outros herméticos procuram as profecias de Magos Criamon, porém eles raramente percebem o futuro em detalhes. Ao invés , ele intui obscuridades e fala em enigmas. 
Jerbinton: Estes filósofos, árbitros e poetas da era mítica se juntaram a Ex Miscellania em 1400. Feridos profundamente pelo paradoxo e a desconfiança dos adormecidos, os uma vez orgulhosos Jerbiton tiveram decaído a alguns poucos sobreviventes- humildes artistas-escolásticos (novelistas, artistas, trabalhadores do serviço social, psicólogos) com compaixão para com os pobres e adormecidos.
Merinita: Escolásticos românticos que acreditavam, que a resolução de todos os mistérios residiam no mundo Feérico. Durante séculos tem dizimado seus talentos com a excêntrica mágica fae, merinita continua possuindo enormes registros de seus contatos com as fadas, Ensinando através de Folclore, visitando locais feéricos e conspirando com Changelings. Esses magos desenvolveram (ou caíram presas de) um humor excêntrico, um gosto por roupas espalhafatosas e um impulso aterrorizante de fazer trocadilhos.
Verditius: Uma vez proeminente da guilda de Construtores e artesões mágikos, verditius encolheu, entrando para Miscellania por volta dos 1600. Encantadores herméticos sem igual, Magos verditius criam talismãs, elixires e objetos de arte similares. Isolados em reinos do horizonte distantes, enfiados em laboratórios sombrios lotados com Tomos antigos, estes magos tornam-se grosseiros, desconfiados e cautelosos. Apesar de seus péssimos modos, eles criam objetos de beleza e poder insuperáveis.

Filosofia: "Misks" individuais adaptam mágikas pagans, shamanicas , artísticas e até mesmo feéricas ao paradigma de trabalho hermético - Isso é, eles desenvolvem elaborados encantamentos memorizam rituais e desenvolvem estilos completamente novos ao invés de simplesmente "conjurar"a mágika como magos fazem em outras tradições. As teorias ecléticas desta casa nem sempre se adaptam ao paradigma hermético comumente aceitado, sendo disputas extremamente comuns. Magos Criamon podem, por exemplo, repetir pequenos encantamentos incansavelmente, algumas vezes em conjunto com drogas ou dança, para atingir um estado profético de transe. Transcendendo seu corpo e o mundo condicionado ele pode alcançar uma consciência unificada de passado e futuro. Esse procedimento estático não entra em conforme com as doutrinas herméticas de poder controlado. Ainda sim, as outras casas observam sem interferir; com sorte, eles podem achar algo que os criamons fazem que possa ajudar sua própria pesquisa de práxis.

Estilos: Os estilos mágikos dentro da casa Miscellânia variam tanto quanto os estilos das tradições o fazem. Um Criamon Indiano profere os sete nomes do tormento enquanto tatua um símbolo místiko na ponta de seus dedos. Um Jerbiton israelense prepara um banquete composto apenas de carne branca servida em tigelas de mármore branco como parte de uma cerimônia artística da paz. Uma Merinita britânica inscreve a runa da água espiritual a volta de uma árvore para poder conjurar a sua dryad interior. Um mago Verditius germânico pode conjurar as 10 ordens dos abençoados e as 10 esferas do mundo para infundir um anel com poderes purificadores. Ex Miscellania tem quase tantos estilos quanto tem membros.

Objetivos: Miscellania, é claro. Essa casa abriga jovens universitários, fervorosos rosa cruzes e filósofos de esquerda que travam suas batalha com papel e caneta. O único objetivo que eles compartilham é o de preservar seus praxes e os direitos da ex miscellania na Ordem.

Organização: a casa Miscellania não possui nenhum governo formal e não se encontra regularmente. Grupos com idéias parecidas se encontram e formam cabalas e capelas, cada uma com suas própria regras e regulamentos. Os líderes desses grupos podem, com dificuldade convocar a casa como um todo para proteger seus direitos dentro da ordem. Misker se comunicam eficientemente através de uma informal, porém séria rede de comunicação, usando telepatia, mensageiros espirituais, e outros meios de comunicação mais mundanos como telefones e listas de mensagens da internet. Outros herméticos podem contatar qualquer ou todos os magos Da Miscellania através da Divisão de pessoal da casa, se eles tiverem bastante tempo pra esperar.

Iniciação: Magos Miskers individuais algumas vezes pegam aprendizes por conta própria, mas a maioria prefere esperar que algum seja enviado pela Divisão de pessoal da casa.

local original: Tradition Book Order of Hermes
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es): Kaworu Naguisa

 Navegação Rápida