Mpauaima


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


"Siga a eternidade e o universo sem ser tomado por ele e você poderá ser eterno como as coisas. Basta entender o todo. "

Os primeiros magos da América do Sul estão vivos até hoje, de certa forma. Eles são representados pela tradição conhecida como Mpauaima que se diz eterna em todos os aspectos. De fato, a tradição é eterna. É bem provável que estes magos tenham originado a maioria das tradições da América do Sul. Eles começaram quando poderosos Despertos resolveram se reunir e se proteger de muitos seres sobrenaturais que queriam sua destruição. Em um conselho eles decidiram que sempre protegeriam a magia deste mundo tornando sua raça eterna. A partir daí eles começaram a trabalhar para que os magos prevalecessem e levassem adiante sua cultura e poderes. Eles usaram a mágika para renascer em outros corpos podendo se lembrar em muito de suas vidas passadas.

Dentre os primeiros trabalhos desta tradição estava montar um lugar onde os magos pudessem se reunir e fazer seus trabalhos em paz. Foi daí que surgiu Ipi, a primeira fonte (capela) da América do Sul. Depois começou sua luta para garantir a aliança de espíritos poderosos. Eles conseguiram isso aos poucos. Estes magos influenciaram praticamente todos os povos do continente que eram apenas nômades. Eles nunca se deram ao cargo de imperadores. Nos impérios que se ergueram, eles trabalharam apenas como meros conselheiros e sacerdotes lutando quando era preciso. Isso continuou até os invasores chegarem. Os Mpauaima entraram em colapso. Não sabiam o que fazer quando viram seu povo destroçado. Almas destruídas, todo um ciclo destruído. Eles acabaram entrando em reclusão e ficaram assim até hoje.

Hoje em dia, eles não são mais lutadores e mestres em manter firme o equilíbrio. Eles apenas querem estudar o universo em cada um de seus pontos e aprender com ele. Querem saber como manter realmente eternas as memórias da alma e poder trazer seu poder de volta aos poucos sem forçar ninguém a nada. Toda sua sabedoria fica contida em seus estudos e em seus métodos antiquados de ser. Eles preferem deixar muito das coisas do mundo de lado mas ainda aceitam o cargo de proteger magos e locais sagrados quando acham que estes são dignos disso. Os Mpauaima sabem ser violentos quando é necessário pois sabem quando usar cada uma das faces do universo. É dito que a tradição passou por sua fase de dinamismo e agora entra em êxtase para depois abraçar a entropia e começar a destruir tudo para um novo começo. Mas a maioria dos magos da tradição não reconhece isso. Eles afirmam que querem realmente é garantir todos os estados dentro de si para que possam entrar em equilíbrio com o universo. Os mais jovens da tradição já começam a reclamar e isso poderá gerar problemas.

A mágika deles varia muito com o ambiente onde estão. Caso um Mpauaima esteja no meio de um campo de guerra ele usará de movimentos agressivos ou de seu sangue para usar uma magia mas este mesmo mago cantaria uma canção calma e serena  se estivesse em um campo bonito e pacífico.

Filosofia : Compreenda os enigmas do universo e os traga para dentro de você. Observe como as coisas são para poder ser como são. Tente mudar por dentro e ser eterno nesse ciclo, sempre renovando mas mantendo o que já aprendeu.

Estilo : cada um destes magos acredita que se deve compreender o universo  como ele está no momento e usar isso para praticar mágika. Eles observam o local onde estão para poderem focalizar a magia fazendo gestos, cânticos e orações com o ritmo do universo no local. Eles tentam entrar em contato com o que está a sua volta mas mantendo o que têm dentro. Isso significa apenas perceber os sentimentos e decorações, usar isso para realizar a magia e depois aprender mas não ser tomado por tudo.

Esfera : Primordial

Focos comuns : gestos, danças, canções, orações, meditação, sangue.

Organização : Todos esses magos se mantêm em contato direto através de cartas e recebem ordens de um conselho de magos que governa desde o início da tradição (isto é, suas almas).Eles seguem os passos e ordens desse conselho mas não são forçados a muito. Quando são convocados devem agir sob as ordens. os mais poderosos e puros são líderes.

Iniciação : O iniciado é vítima de um ritual que o fará enxergar suas vidas passadas e ter mais contato com essas. A partir daí ele conhecerá cada vez mais de seu passado e se preparará para o futuro em uma das fontes da tradição.

Acólitos : Todos aqueles que possuem almas de antigos magos sul-americanos

OBS : Existe um novo antecedente para esta tradição. É o antecedente Vidas Passadas que permite que ele veja o que viveu em outras épocas. Os magos dessa tradição devem gastar pelo menos um ponto nesse antecedente. Para cada ponto, ele poderá jogar um dado em um teste que lhe permitirá ganhar um dado na parada de dados de alguma habilidade mesmo que desconheça. Para usar isso ele deve se concentrar durante alguns turnos. Uma falha crítica indica que ele é tomado por visões de suas vidas passadas confundindo as realidades.

local original: Trevas do Brasil
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es):

 Navegação Rápida