Charlatães


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Não - Despertos que entitulam-se Magos

O mundo é um local cheio de pessoas excepcionais, que praticam grandes feitos, entre eles encontram-se os mágicos, que apresentam-se nos palcos alegando possuírem algum poder, e utilizam-se da lábia e artifícios como espelhos e cordas para fazerem os outros acreditarem que eles possuem poderes mágicos, mas algumas vezes a farsa não restringe-se ao palco, e não-despertos tentam convencer os outros que são especiais, tentando fugir da "normalidade", tentando ser mais do que "mais um", e algumas vezes eles simplesmente enlouquecem. Aproveitam-se da ingenuidade do povo que são detentores de grandes poderes. Estes são os Charlatães.

O Charlatão deve preocupar-se inicialmente com dois aspectos: a Fama e o Estilo. A Fama é conseguida através da arma mais poderosa que qualquer personagem do World of Darkness poderia possuir, a manipulação da informação. O Charlatão tem de valer-se por coincidências e mentiras para construir sua fama perante os outros. Uma mentira bem contada é o que basta para um Charlatão, depois que ela espalhar-se, o povo cuidará do resto ("Quem conta um conto sempre aumenta um ponto!"). É claro que as boas mentiras sempre possuem um fundo de verdade, que o Charlatão aproveita, caso o ocorrido seja mal conhecido pelo público.

Outro aspecto que é indispensável ao Charlatão é o Estilo, que deve fazer parte da personalidade do Charlatão, ele não deve apenas manipular as informações, ele deve manipular seu público, fazendo com que as pessoas acreditem nele, e também fazê-las dirigirem a atenção para outro lado quando ameaçarem examinarem você ou seus truques de perto.

O Charlatão também deve ter um bom preparo, seja na forma de mãos rápidas para fazer objetos "surgirem do nada", seja na forma de um bom fôlego para ficar submerso em um tanque enquanto livra-se de correntes presas com cadeados abertos, e até uma mente afiada, para saber aproveitar luz, sombra, espelhos e pontos de visão. Além, é claro, da boa movimentação corporal, que o ajudará à simular vários efeitos mágicos. É claro que a tecnologia ajuda, com seus alçapões escondidos, fios, roldanas, efeitos sonoros e o famoso par, espelhos e fumaça, que possibilitam um efeito ainda mais real aos truques.

Os melhores Charlatães juntam esses elementos à mais um: o grande poder da embromação e confusão. Muitos Charlatães utilizam isso para seus truques, tirando a atenção do que eles estão fazendo e fazendo todos prestarem atenção no que eles dizem, encobrindo seus atos.

É claro que Charlatães espertos, que sabem da existência de Magos Despertos, irão sempre olhar onde pisam, alguns tentarão convencer os Magos de que possuem poder, e outros tentarão até subornar os Magos em troca de fazerem vista grossa.

Filosofia: Se o povo acredita, e ninguém conseguir provar o contrário, então deve ser verdade.

Estilo: Charlatães tentam sempre convencer à todos de que são os mestres da magia e dos sortilégios, e farão de tudo para alcançar este objetivo.

Esfera: Nenhuma

Focos Comuns: Apesar de não fazerem nem mágikas, tampouco mágicas, os Charlatães geralmente usam de tudo, desde varinhas e cartolas, até cilindros de água e arcos e flechas.

Organização: Completamente solitários, até que haja alguma convenção em que ofereçam um gordo cachê.

Iniciação: Nenhuma, se você finge ser um mago, já é um Charlatão.

Acólitos: Fãs, crédulos, guarda-costas, e principalmente assistentes gatíssimas que usam pouca roupa.

Conceitos: Brincalhão, palhaço, artista, vagabundo, esperto, e perito em efeitos de palco.

Note que os Charlatães podem comprar o antecedente Recursos, uma vez que eles não podem se valer de Mágika para pagar pelas contas, ou coisa parecida.

local original: Blumenau RPG
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es):

 Navegação Rápida