Toth (Brandon Loratelli)


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


História: Thot é o misterioso Solificatus que acabou por receber o título de administrador do Reckoning Nova Iorquino. Como uma pessoa fechada e bastante reclusa ele se destaca no meio da cabala rebelde e bastante ativa de Excelser.

Recebendo durante muitos anos tutela dos filhos do Conhecimento, tornou-se rebelde conforme seu mentor, Um magus chamado Teoplasthus, não entrou para a ordem de Hermes junto com o ofício. Brandon gostava de se sentir parte de alguma organização e amava jogos políticos. As posições de Teoplasthus, receosas após um milênio de vida como magi, afastavam as ambições do neófito.

Apesar de gostar de seu tutor como um pai, Thot não pode reclamar quando a morte abateu o mesmo. Ele finalmente pode entrar para uma cabala de tradicionalistas e, mesmo não sendo oficialmente parte de tradição alguma, recebia bastante prestigio do conselho diretor da cidade. Toth era um bom emissário entre os mais jovens. Sua idade tornava-o mais próximo dos acólitos e aprendizes com quem aprendeu tanto quanto ensinou.

Dentre as coisas que aprendeu estava a moderna ciência da Nano tecnologia e a programação de circuitos que poderiam imitar a vida. Em sua busca por uma nova arte para somar aos conhecimentos dos solificati, Toth achou nas armas da tecnocracia uma forma de despertar as velhas filosofias dos alquimistas medievais. Por muito tempo o mago considerou entrar para tecnocracia para poder estudar mais a fundo essa nova concepção da matéria. Esses pensamentos foram afastados quando ele viu parte de sua capela ser queimada por um ataque tecnocrata que destruiu grande parte de seu trabalho. Durante meses Toth sentiu-se desolado com a sua pesquisa e precisava de renovar seus objetivos para reganhar a inspiração perdida.

A faísca que redescobriu o gênio do magus veio junto a um iniciado que, sofrendo censura pela sua tradição, revelou seu plano de mostrar a verdade para adormecidos. O contato com Excelser após uma conversa sobre as interações de circuitos e a mente humana levou o alquimista a desenvolver, junto com uma colega da cabala a qual se juntou , a droga Speed.

Toth nunca deixou de lado seus antigos contatos e, mesmo após desenvolver a substância pela qual ficaria famoso, continuava a realizar trabalhos para o conselho da cidade. Abstendo-se da política que tanto amava por um tempo conseguiu status de mestre dentro da casa Solificati devido ao seu desenvolvimento do que chamava de “Aégis para a descrença”. O speed foi considerado um mágika de alto escalão e anotado em meio aos arquivos da Ordem. Esse titulo causou polemica pelo fato de Toth, nome o qual adotou durante a condecoração a mestre, ser um dos mais jovens magos a ter essa graça concedida e, principalmente, pelo fato dele não ser oficialmente parte da Ordem antes de sua condecoração.

Excelser sempre fora uma pessoa estourada e, durante o tempo em que ficou no controle de sua casa noturna. Causou problemas para todos os magos na cidade. Poucos despertos não sentiram o embrutecimento das manobras da união e, principalmente, o clima tenso que tomava o horizonte. Foi uma decisão sábia Excelser ir para outra cidade criar a segunda sede do Reckoning e deixar a situação na mão de Toth.

Como mago próximo do conselho da cidade e mestre hermético reconhecido foi uma questão de semanas restabelecer a paz. Em pouco tempo Toth encaixou seus planos com os planos das tradições e aceitou a intervenção de uma cabala da ordem dentro do bar. Ele iria dividir seus recursos com os magos da cidade numa demonstração de “boa vontade e seriedade com os compromissos do conselho”. Como ele mesmo falaria em certa ocasião.

Atualmente o mago vem envolvido com uma espécie de “entrosamento planejado” com os magos que passam pelo Reckoning e, plantando sementes que podem vir a ser úteis no futuro, dá alguma ajuda a cabalas que o procurem. Com intenção de se aproximar da cena noturna e abrir o bar a outros magos com gostos variados ele contratou a bartender Sastrata que, sendo uma cultista bastante conhecida, vem trazendo nova clientela ao reckoning.

Aparência: Magro, 1,76m e 65 kg de cabelos castanhos escuros e olhos negros. Toth é um homem bastante moderno, com a aparência de alguém por volta de seus 35 anos, o magus sempre anda vestido com roupas sóbrias como camisas de lã com gola alta e calças sociais. Usando óculos escuros redondos e tendo um cavanhaque e cabelo cortados bem baixos ele dá uma aparência um pouco mais séria do que realmente é. Seu rosto é bem delineado e um pouco magro demais. Olheiras um pouco fundas e sobrancelhas lhe dão um ar taciturno e muitas vezes manchado de uma agressividade inexistente. Duas coisas sempre acompanham o magi. Uma delas é seu cigarro e a outra um pequeno anel de prata verdadeira dado por uma antiga amante. Apesar de produzir a droga em seu laboratório o mago não usa Speed e por isso é difícil vê-lo carregando qualquer coisa do tipo. Seus focos normalmente ficam dentro de uma carteira fina de couro que contém pequenas quantidades de materiais úteis. De fogo grego a ouro o magi carrega de tudo um pouco. A carteira é organizada com saquinhos e, com um pouco de água, efeitos simples podem ser improvisados.

Dicas de interpretação: A insensatez da juventude já passou por você há algum tempo. Não existe nada que não possa ser resolvido com delicadeza e finesse, e a agressão explícita é a marca da insensatez. Você é um alquimista e sua arte depende tanto da precisão quanto da inspiração, você deve ser racional sempre que possível e não deixar que emoções e explosões de sentimentos tomarem-lhe a mente. A tecnologia e a habilidade de alguns magos pode deixa-lo intertido por horas. Você ama novidades e sempre que pode troca idéias com magi com outros pontos de vista . As tradições são um ambiente bastante propício para exaltar sua criatividade e, sem nunca perder o equilíbrio, é necessário entrar e ver o que as outras culturas tem a oferecer. O speed é uma criação importante, mas atualmente você já a superou, tudo agora está nas mãos de Excelser e seus companheiros, você já está muito além disso tudo.

Brandon Loratelli (Toth)

Tradição: Ordem de Hermes
Conceito: pesquisador alquímico
Natureza: arquiteto
Comportamento: Conformista
Essência: dinâmica

Atributos: Força 2, Destreza 3, Vigor 2, Carisma 3, Manipulação 4, Aparência 2, Percepção 3, Raciocínio 3
Talentos: Esportes 1, Consciência 2, Briga 2, Esquiva 1, Expressão 3, Liderança 2, Manha 3, Lábia 3
Perícias: Ofícios 4, Etiqueta 2, Armas Fogo 1, Meditação 1, Furtividade 1, Tecnologia 3
Conhecimentos: Academicos 3, Computador 2, Lingüistica 3, Medicina 3, Ocultismo 2, Ciência 2

Força de Vontade: 5
Arete: 4
Esferas: Matéria 4, Primórdio 4, Correspondência 2, Mente 3, Forças 3

local original: Page of Mirros
nome original: Reckoning
autor(es): Kaworu Naguisa
tradutor(es):

 Navegação Rápida