Aliah Terrison


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


História: Tudo começou para Aliah com a visita do Batinni. Até então ela era apenas uma adepta viciada em heroína. As drogas estavam acabando com a vida e a mágika dessa desperta de uma forma que poucos conseguiam entender. Muitos acham que magos simplesmente são imunes a esse tipo de problemas, e dentre essas pessoas estava Aliah antes dela se envolver com o vício e terminar devendo para o seu fornecedor.

Outrora prodigiosa estudante de um adepto bastante conhecido a jovem fora renegada após, numa festa com amigos cultistas, se envolver com algo para qual não estava preparada. Muitos pensaram que era corrupção nefandi ou que ela simplesmente estava decaindo mas nada estava mais longe da verdade. Sendo fraca com qualquer tipo de vício desde criancinha, sempre teve tendências a exagerar em tudo que fazia e, na primeira chance que teve, afundou todo seu outrora brilhante futuro. Seus amigos se afastaram e, mesmo quando alguém tentava ajudar a força de vontade de Terrison não era o suficiente. Vivendo com o irmão ela era sustentada pelo mesmo que, num esforço fraternal, procurava esperar que sua irmã se reerquece.

Com as drogas a mágika dela morreu. Ela não tinha a vontade o suficiente para realizar suas artes e não tinha vontade para isso também. Durante quase seis meses a única coisa que fazia era se trancar no quarto e viajar.

Azuma era o nome da mulher que teve coragem de mudar sua vida. Quando primeiro viu a Batinni, Aliah não reconheceu, pensou ser apenas mais uma visão causada pela abstinência, mas conforme aparecia mais vezes a maga provou ser real. Durante um ano ela cuidou da adepta até que esta desenvolvesse a força necessária para superar seu passado. Por muito tempo Aliah simplesmente viveu como uma adormecida até receber um novo contato de Azuma que, assim como apareceu sumiu apósa melhoa da Adepta. O pedido era justo, a mulher havia salvo sua vida e, quando começou a analisar a proposta de se juntar aos novos Ahl ih Batin, Terrison não pensou duas vezes em voltar ao seu treinamento. Sua maestria em correspondência e nas técnicas do mundo moderno ajudaram a ressucitar o antigo ideal do monte Quaf. Ela tinha um objetivo pelo qual deveria lutar como forma de pagamento pela sua vida recuperada.

Um ano foi o tempo em que Azuma viveu no apartamento de Aliah e, nesses doze meses, ensinou os caminhos de sua antiga tradição. A jovem adepta se viu encarregada de remontar a parte que lhe cabia da rede telepática batini enquanto buscava pelo seu monte Quaf. Dividida entre a ajuda a Azuma e a seu irmão, ela trabalhou mais do que nunca na sua vida procurando esquecer pelo que passara.

Em alguns meses estava pronto o esboço da rede virtual o domínio estava formatado, pronto para realizar as comunicações entre mentes adormecidas e despertas. Azuma reapareceu e, durante algum tempo aprendeu com Aliah como utilizar o programa que havia criado. Após pegar as senhas de acesso e agradecer pelo esforço a batini sumiu novamente deixando um telefone que só deveria ser usado na maior das emergências. Após essa nova perda de objetivos a maior das buscas da jovem magi se iniciou.

Num turbilhão de meses que viraram sua vida de cabeça para baixo Aliah se viu confrotnada pela primeira vez com o próprio avatar. Ele a conduziu por estranhos caminhos que levaram- na de sua cidade natal na Pensilvânia até uma capela multitradiconal em nova Iorque. Foi um tempo de emoções rápidas e agressivas. Ela cruzou o deserto e batalhou com a união nos lugares mais estranhos possíveis simplesmente para se encontrar com Excelser e, em segundos, dar de frente com o mais difícil de todos os testes. Como forma de mostrar aos adormecidos a verdade ela e um outro mago deveriam desenvolver uma droga. Uma droga que era capaz de conectar a todos dentro do mundo de sensações compartilhadas da teia dos Ahl-ih-Batin. Aliah, inicialmente hesitante, aceitou o desafio e, no final da produção do corpo da droga jah havia terminado o sistema de controle Daemon e todo o layout do sistema. Em pouco menos de um ano o Speed estava em sua primeira cartela que, mesmo sendo uma tentação para Terrison, não foi jamais tocada.

A distribuição da droga no bar é acompanhada pela Magi que tornou pessoal a batalha por evitar dependentes da susbtancia. Monitorando o Redcross em busca de membros viciados ela é quem dá a última palavra quando as atividades de alguém devem ser terminadas. Quase cinco membros já foram internados e recuperados devido a uma ordem de Terrison que funciona como uma balança moral para a rebeldia de seu líder e companheiro Excelser.

Nas noites atuais quando o reckoning está nas mãos de Toth ela trabalha monitorando a rede de computadores e pode ser facilmente achada no terminal central da Mainframe abrigada no subsolo do bar. Ela quase sempre está trabalhando junto com daemon em um projeto que a pouco tempo foi enviado por Azuma.

Imagem: Aliah possui uma estatura baixa e uma constituição bastante magra. Seus cabelos são curtos cortados na altura do queixo e seus olhos mostram quase sempre um cansaço perene. Vestida sempre em seu macacão jeans ela gosta de usar boinas e bonés com o broche da nike que seu irmão lhe deu. Quem passa perto da Magi sempre se admira com a idade dela. Apesar de possuir seus 27 anos não aparenta ter mais de 17, seu rosto ainda carrega algumas poucas sardas que acentuam seus olhos verdes e cabelos louros. Sofrendo de tendinite grave ela quase sempre está com as mãos enfaixadas e seu braço possui ainda as marcas negras das agulhas que usava. Ela se envergonha do passado mas deixa essas marcas como lembranças do que pode vir a acontecer caso caia denovo no mesmo erro. Todos que a conhecem gostam de seu sorriso e, mesmo com um passado assombrando-a, a adepta é bastante sorridente e alegre.

Interpretação: A vida é maior do que um quarto fechado, você sabe disso porque já esteve trancada em um. Apesar da alienação ser útil a muitas coisas um pouco de ar sempre faz falta. Tentando acertar o tempo perdido atualmente você tenta praticar o maior numero de atividades naturais que puder. De Yoga a vegetarianismo você faz de tudo um pouco. Concentrada em seu trabalho você se abistem de tudo a sua volta quando programando. Ao contrário da maioria dos adeptos você faz isso para se ver livre logo dos problemas, e apesar de gostar de programar não se deixa ficar sentada mais que algumas horas na frente do computador. As pessoas e a vida são as coisas mais importantes pra você. Uma conversa pessoal é bem melhor que um chat e andar na chuva de verdade é melhor que horas de sexo virtual. Esses pequenos segredos, assim como sua crescente fé na providencia e nos caminhos de Alah são algo que vieram a duras custas pra você. Seu mundo é um mundo de cinismo e aparências por isso não mostra esse seu lado a menos que esteja com amigos íntimos a sua volta e, por mais inocente que seja no seu coração, ainda tenta se manter com uma aparência maliciosa. Você deve tudo pra Azuma e seria capaz das maiores coisas por ela, talvez nem estivesse viva se não fosse por ela. Qualquer pedido é uma diretriz de vida quando parte de sua mentora batini.

Aliah Terrison

Tradição: Adeptos da Virtualidade/ Ahl-ih-Batin
Conceito: ex-viciada
Natureza: bon vivant
Comportamento: Arquiteto
Essência: investigador

Atributos: Força 2, Destreza 3, Vigor 2, Carisma 3, Manipulação 3, Aparência 3, Percepção 2, Inteligência 3, Raciocínio 3
Talentos: Esportes 1, Consciência 1, Briga 1, Esquiva 1, Expressão 1, Manha 1, Lábia 1
Perícias: Ofícios 2, Condução 1, Etiqueta 1, Armas Fogo 1, Performance 2, Meditação 1, Armas Brancas 1, Furtividade 1, Sobrevivência 1, Tecnologia 3
Conhecimentos: Academicos 1, Computador 4, Direito 1, Lingüistica 1, Ocultismo 2

Força de Vontade: 6
Arete: 3
Esferas: Correspondência: 3, Mente: 3, Forças: 3

local original: Page of Mirrors
nome original: Rackoning
autor(es): Kaworu Naguisa
tradutor(es):

 Navegação Rápida