Às cúpulas e aos escolhidos


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Despertar é muito mais que passar a ver sentido nas coisas ao redor, apesar desse sentido trazer em sí a origem mesma da vida e da criação.

Há uma sensação muito mais importante, cujo valor ultrapassa todas as outras, e ela é indescritível e inominável. Uma vibração intensa, tão forte e uníssona que faz com que sua percepção do mundo externo se altere.

Você consegue tocar o mundo de fora como se fosse sua própria essência, você tece suas reações tão naturalmente que o pensamento e a ação são apenas um.

E depois, sem que você queira, inevitavelmente vem a consciência... Sua mente, em um transe metalinguístico (o pensamento refletindo sobre o próprio pensar) percebe o fenômeno acontecendo. Um leve zumbido nos ouvidos, uma energia quente e reconfortante surge no peito, e parece querer extravasar seu corpo, sair pela boca, ou pela própria pele se possível for.

Você parece descobrir que seu lugar preferido, seu refúgio secreto, foi pintado por uma força desconhecida, que se retirou após cumprir o seu papel, deixando novamente sozinha sua intimidade. As paredes, outrora manchadas, agora são brancas e refletem a luz, quer seja ela natural, artificial, ou o brilho de seus próprios olhos. E, apesar dessa interferência, e mesmo que você contasse, fizesse um mapa detalhado, ainda assim ninguém descobriria seu refúgio.

E você nunca conseguirá descrever essa situação. E, por isso, não saberá se outros se sentem assim, ou não.

E a partir dessa idéia, você pensará: "Agora tenho um mundo próprio. Ele é meu como eu sou dele, é meu por direito e por destino."

Claro, cedo ou tarde você encontrará aqueles que mais se assemelham a você. Entretanto, vocês serão tão diferentes uns dos outros, que será muito curioso perceber como podem ser diferentes e tão parecidos. Esse grupo será realmente o seu se você puder reconhecer não apenas seu papel, mas sua felicidade e harmonia refletidas no reconhecimento que sequer precisa de linguagem para se expressar.

Entretanto, você saberá que isso não é o mais importante. O essencial para você está internalizado já há muito.

Sua Ascensão, grande subjetividade, será finalmente alcançada quando você puder comprovar que o seu destino não apenas o libertou, mas o fez superar a própria condição humana. Você não será mais minha criança, meu pequeno anjo da guarda, mas seu próprio deus.

local original: Page of Mirrors
nome original: Às cúpulas e aos escolhidos
autor(es): Verbenazinha Cayra
tradutor(es):

 Navegação Rápida