Recarregando Maravilhas


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


A maioria das Maravilhas abastecidas com Quintessência pode ser recarregada de uma das duas formas. Primeiramente, os magos podem usar um Efeito de Primórdio 3 para recarregar as baterias Quintessenciais das Maravilhas transferindo o poder tirado de seus próprios Avatares. Fazer isso liga a Maravilha fortemente ao mago, sendo que agora é o poder dele que a infunde e a abastece. Com o tempo a Ressonância do mago em si tingirá a do Talismã até eles ficarem “sintonizados”.

Também é possível recarregar Maravilhas colocando-as num Nodo com a Ressonância apropriada e deixando-as lá para absorverem as energias. As Maravilhas recarregam na velocidade de uma Quintessência por nível do Nodo por semana. Essa velocidade assume que o Talismã é o único que está no Nodo, é óbvio, e que o poder do Nodo é apropriado ao Talismã. Uma espada mágica poderia ser recarregada num Nodo ligado à Guerra, Honra, ou Glória, mas uma espada que for deixada muito tempo num Nodo ressonado com Fertilidade pode agir um pouco... esquisito... até passar o período para consumir sua carga. (Mas, por outro lado, todos sabemos que espadas são símbolos fálicos, certo?)

Instrumentos Tecnocráticos recarregam aproximadamente do mesmo modo, embora em termos Tecnocráticos. Em outras palavras, você tem um técnico qualificado (ou seja, com Primórdio 3) passando um tempo consertando o Instrumento, fazendo uma “regulagem,” ou leva o Instrumento de volta para o laboratório (o Nodo) e deixa que ele recarregue.

O Paradigma, como sempre, é a chave. Um ciborgue da Iteração X, mesmo que queira, não poderia “regular” um caldeirão Verbena, e da mesma maneira um Verbena não conseguirá recarregar sua varinha simplesmente levando-a para o laboratório local dos Filhos do Éter e ligá-la a uma bobina Tesla.

Ocasionalmente magos de paradigmas opostos podem encontrar linhas comuns - um Progenitor botânico e um ervanário Verbena podem fazer uso do mesmo jardim, falando de um modo geral - mas para a maioria, somente os Vazios e Órfãos se destacam verdadeiramente neste departamento. Eles podem usar Nodos e focos Tecnocráticos ou místicos. Para um Vazio, é perfeitamente válido metafisicamente recarregar suas cartas de Tarô colocando-as em cima do monitor do computador, enquanto o navegador de Internet estiver sintonizado no “Lado Negro da Teia”. E se a arma laser colocada na mão de um ciborgue parar de funcionar no dia seguinte depois de você tê-la cortado? Bem, porque não usar necromancia para trazê-lo de volta à vida?

local original: Mage Storyteller Companion
nome original: desconhecido
autor(es): desconhecido
tradutor(es): Dr. Orlando

 Navegação Rápida