Tecnocratic file 001.A 


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


(Exemplo de descrição tecnocrata Alternativa)

As descrições alternativas são a essência de um bom mestre. A maioria dos Narradores está acostumado a narrar seus cenários e muitos criam suas próprias variantes para o livro de jogo, eles sabem muito bem que o que acontece em suas crônicas não é exatamente o que o cenário global do jogo sugeriria. Isso é o natural, são poucos os que gostam de seguir a risca tudo que os livros de regras falam e demonstram em seus suplementos. A grande maioria dos narradores cria sua própria cosmologia e elementos para povoar os jogos. Mesmo nas Adaptações os personagens e cenários sofrem uma “personalização” que os coloca num estilo mais afim com o jeito do mestre. Esse fato é a essência do material não oficial, e é intimamente ligado a criatividade humana, mas algumas vezes sofre algum preconceito por parte de outros narradores.

Respeito todos aqueles que seguem o cenário exposto nos livros a risca mas é de minha opinião que todo narrador deveria torcer o jogo de modo pessoal para que seus conceitos se encaixem no cenário. Do ponto de vista do que vos escreve é muito mais interessante para narradores e jogadores ver um cenário livre para expansão pessoal do que mera repetição de uma ordem estabelecida e generalizada, por isso dou nesse artigo um exemplo de cenário tecnocrata e espero que compreendam de não se tratar de um cenário “oficial” nem de tentativa de criar um material de uso genérico. Quero que os leitores usem o que quiserem e sintam-se mais que a vontade de plagiarem, torcerem, modificarem e queimarem tudo que for escrito para proveito próprio. O mais importante são as idéias, e se elas forem de seu gosto, use-as. “thy will be done

 A Máquina Tecnocrata: Como o mundo gira?

A Tecnocracia é uma grande sombra por sobre o mundo mortal. Seus agentes se espalham por todos os níveis da sociedade. Como trabalhadores de uma corporação procurando manter as máquinas funcionando eles se embrenham em meio as mecanicidades sociais em buscas das brechas e falhas a serem consertadas. Empregando um enorme contingente de pessoal desperto e adormecido a união é como uma sociedade paralela, como uma forma de governo e ordem social adversa funcionando sob a fachada do mundo que todos nós vemos, ela é uma potência mundana por si só. Possuindo diversas divisões internas ela não é totalmente centralizada sendo definida apenas por uma divisão de controles gerais denominados convenções. As células tecnocratas podem ser consideradas individuais e auto-sustentáveis podendo existir sem auxílio externo tendo como ponte de ligação apenas uma forma de irmandade não oficial. Entre os Tecnocratas existem laços que relembram as antigas sociedades secretas, laços que os unem como detentores de uma tecnologia que supera os limites atuais e um pacto que, para segurança geral junta os esforços das diversas células para manterem-se vivas contra os que tentam retira-las do poder.

Uma vez a tecnocracia fora meramente a  guilda de artífices buscando uma forma de expressar suas técnicas num mundo dominado por diversas facções místicas. Mas o cenário mudou. Conforme prevaleceu, a guilda se dividiu, e diversas entidades se formaram agarrando-se ao mundo capitalista que surgira. A Timetable para a evolução da humanidade foi dividida entre as células restantes e seu esforço conjunto levaria a final ascensão coletiva da raça humana.

O cenário sugerido é um mundo onde o junggernaut tecnocrata na verdade é mais parecido como uma sociedade paralela. Ao invés de termos uma enorme corporação unitária nós temos apenas diversas células tecnocratas infiltradas na humanidade. Sem ter um esforço coletivo unitário a tecnocracia funciona mais como um conjunto de corporações numa aliança para vencer seus concorrentes. Apesar de ter vencido as tradições devido a sua unidade a tecnocracia acabou por evoluir para um organismo dividido em várias corporações e laboratórios que tem como união apenas cinco sociedades secretas: as convenções. Esse cenário permite alguns ganchos novos que serão expostos no decorrer do artigo.

As células do organismo: Dividir para conquistar

A guerra das Ascensão está terminada.” Foi isso que o conselho pronunciou após se defrontar com o mundo atual. Pode ser que não seja verdade mas tudo está mudado nesse final de século, a própria união começou a se adaptar ao mundo novo que ela construiu. O objetivo da ordem da razão era iluminar as massas para que elas pudessem armar a si mesmas utilizando-se da ciência racional. Um objetivo louvável para pessoas que viviam numa época de medos como o da Europa das trevas. Um plano foi criado e aos poucos foi se concretizando até culminar na sociedade em que vivemos. Talvez a ciência não seja a religião das massas mas já é parte de suas vidas em todos os atos. Mas a vulgarização do método racional era apenas a primeira parte do plano, e quase todas as conseqüências de tal ato foram previamente medidas incluindo o fato da ordem chegar a um ponto em que ela se cegaria devido a sua visão. E quando a hora chegou o conselho já estava preparado.

Formação

As células tecnocratas são uma forma de expansão adotada pela união no final da segunda guerra mundial. Quando o sistema capitalista colapsou toda a tecnocracia levou um enorme choque de retorno, suas bases fraquejaram diante do ar de desordem e o clima de desespero. Ordens sociais surgiram e quase todas as tentativas de se moldar um novo mundo falharam. Todas as potencias ficaram de joelhos diante do desastre ocorrido após o crack da bolsa de NY.

Nessa época de incertezas toda a união se dividiu. As convenções geraram uma nova forma de governo para que o sistema da união pudesse ficar mais efetivo e dinâmico acompanhando as mudanças sociais mais de perto. Vários éditos foram emitidos para as congregações e fóruns espalhados pelo mundo. Cada um deles à partir daquele momento teria mais autonomia recebendo de tempos em tempos objetivos gerais a serem alcançados e caberia a eles decidir as ordens de importância e estabelecer sua base de poder. A sociedade estava aos poucos se estratificando devido a falta de recursos e caso a união não estivesse atenta as minúcias dos locais que dominava correria o risco de perder seu território. Com os planos de reestruturação do sistema capitalista novos recursos foram enviados aos centros de poderio da tecnocracia e as células locais puderam crescer formando bases por conta própria. Feudos foram formados onde a segurança e o domínio locais ficavam a cargo das bases estabelecidas na região.

Funcionamento

As células tecnocratas se manifestam de diversas formas dentro do contexto social. Muitas delas são encobertas por fachadas mundanas e angariam recursos de duas formas básicas, uma é através de requisição e contratos com o comando central tecnocrata e outra é por meios mundanos. No édito que estabelece a forma básica de funcionamento das células é descrito a necessidade de um vínculo das mesmas com a instituição adormecida para que haja flexibilidade quanto a arrecadação. A maioria das células acompanha alguma forma de empresa ou conglomerado empresarial. Todo o trabalho de pesquisa e desenvolvimento é incentivado pelo conselho interno tecnocrata através do repasse de recursos. A tecnologia desenvolvida pelas empresas é tanto de estudo da união quanto de utilidade comercial. Grandes companhias mundanas possuem quase em sua maioria influencia por parte de células atuantes tecnocratas. Parte da arrecadação de tais empresas financia a instituição tecnocrata como um todo e em troca as empresas ganham acesso a rede de informação aberta da união e recebem facilidades em contratos, aquisições e pessoal. Todas as companhias que possuam células tecnocratas afiliadas ao grupo tecnocrata terminam, sem exceção sendo bem sucedidas no mercado. Com um grande cartel a tecnocracia aos poucos ruma para dominar todo o mercado mundial e, com esforços renovados, tenta espalhar sua tecnologia para as massas, rompendo as barreiras da inércia que se criou após as guerras e a formação dos blocos econômicos.

Estrutura 

As células todas possuem divisões próprias e normalmente seguem os padrões que melhor encaixam-se as necessidades de seu campo de trabalho mas algumas características comuns podem ser definidas com certa amplitude. Na maioria das células acopladas a companhias ou negócios existe uma hierarquia informal onde todo o pessoal desperto se acumula nos maiores cargos invariavelmente tendo prestigio e controle sobre as ações de todo o negócio. Apesar de empregar tanto pessoal desperto quanto adormecido é comum criar-se um grupo íntimo de pessoal que, por trabalhar rotineiramente com a presença de procedimentos despertos acaba desenvolvendo habilidades excepcionais. Esse pessoal que é capaz de empregar procedimentos sem ser desperto também ascende de forma rápida nos rankings da união sendo colocado em lugares de destaque como testas de ferro para os operativos despertos. É provável encontrar esses operativos capacitados conduzindo reuniões com a equipe interna de acionistas, ou servindo como chefe de pesquisas laboratoriais diretamente subordinado ao cientista chefe. Dentro dos laboratórios das células muitos dos técnicos começam aos poucos a serem doutrinados nas novas tecnologias que, aos poucos são passadas as massas. A mão de obra não desperta desses cientistas gera artigos que podem ser utilizados com maior facilidade pelos consumidores. Apesar das invenções de ponta e teorias serem descritas por chefes despertos são estes técnicos que realmente fazem o trabalho pesado de passar ao consenso as teorias que aprendem. Com pequenas divisões de segurança armadas é dever das células defender a realidade consensual e o domínio tecnocrático , seus exércitos são a primeira linha de defesa , sendo úteis na maioria dos casos leves. Uma célula que não cumpra esse dever sofre graves cortes por parte do controle central podendo sofrer até uma extinção e substituição de pessoal indo a corte.

Tipos de células mais comuns

Os tipos de células mais comuns normalmente se situam entre companhias e empresas internacionais mas muitos outros campos são regidos por diversas células ligadas a união, dentro dos governos diversos órgãos e departamentos possuem agentes infiltrados que controlam os recursos locais, vários departamentos financeiros de companhias que não possuem controle tecnocrata são na verdade células infiltradas. Dentre os tipos de células infiltradas as mais úteis são as células que controlam os meios de informação como jornais e conglomerados assim como a CNN ou a Warner. As células que se infiltram em meios não controlados pela tecnocracia normalmente são ligadas diretamente ao controle central e as convenções, mas nada impede que uma célula independente ou afiliada ao controle tecnocrata tenha suas próprias equipes infiltradas.

O propósito da divisão da tecnocracia num organismo não centralizado é bastante simples. Inspirado em cenários nos quais existe intrigas internas em vários níveis, as células abordam o tema de conspiração assim como o tema de grandes companhias dominando o mundo. Com um pessoal dividido e autônomo a instituição cresce em liberdade para objetivos pessoais. Nenhuma célula é apenas um organismo funcional para suprir o controle central tecnocrata, indivíduos podem crescer em poder e tentar dominar a união assim como podem ter objetivos adversos aos objetivos coletivos. Num mundo que é assim dividido, planos e concorrência crescem entre uma célula e outra. O domínio de uma cidade pode ser motivo de luta interna, e a possibilidade de se jogar uma campanha na qual tecnocrata está contra tecnocrata pode gerar boas idéias. Se colocarmos as tradições também tendo bases de poder mortais podemos imaginar um xadrez nos quais as peças se conjugam como companhias e a espionagem e guerra secreta são muito mais presentes. A guerra da ascensão pode tomar uma ordem muito mais maquiavélica conforme células tecnocratas podem ser tomadas e pela primeira vez podemos ter um domínio tradicional completo sobre uma cidade.

Dentre as idéias de aventuras para este cenário temos: se uma célula tecnocrata fosse corrompida por esforços dos tradicionalistas? Se duas empresas lutassem por um mesmo mercado e os jogadores pertencessem a uma delas e o lado oposto também fosse uma sociedade secreta? Imagine como uma guerra empresarial poderia mudar com a utilização de mágika e tecnomágika, cada uma lutando de um lado. Imagine a possibilidade de um grupo de magos das tradições planejar tomar uma cidade das mãos de uma célula em especial. Que jogo de espionagem não daria se os personagens tivessem que roubar o banco de dados de uma empresa rival? As células tecnocratas podem criar uma cara diferente para um inimigo, talvez um pouco mais parecida com a Pentex do Lobisomem, talvez os magos pudessem ter um inimigo definido a quem lutar ao invés de lutar contra o monólito inabalável de uma tecnocracia unida.

O Corpo : “We are the control”

Após a divisão de esforços a tecnocracia se encontrou numa espécie de retrocesso parcial, onde a união se desfez em várias instituições menores, essa espécie de divisão de esforços e atenção foi criticada duramente por operativos e pessoal laboratorial. Muitas das pesquisas começaram a receber menos recursos para seu prosseguimento e a individualização dos operativos gerava uma certa forma de sentimento de “nós contra eles” e um “Laisse fair” quanto as diferentes células dentro de uma cidade. Por alguns meses durante a reestruturação interna do conselho Tecnocrata um governo central ficou ausente. Alguns pontos se fortaleceram pela liberdade adquirida mas muitos constructos sofreram perdas de desempenho graves. Vendo essa situação, logo que foram sanadas todas as disputas internas um novo corpo tecnocrata foi montado. O corpo administrativo fundou-se novamente e os constructos logo receberam um códice indicando todos os procedimentos de comunicação e administração que a partir daquela data seriam vigorantes.

O corpo tecnocrata consiste das bases de operações principais de cada convenção e de um círculo interno que abrange os mais poderosos dos tecnomantes líderes das convenções. Cada Convenção possui uma base de poder específica e são elas que definem as regras que regem seu campo científico social . A iteração-X define os protocolos e regulamentos sobre os aparatus de hipertech que circulam no mercado entre as corporações, os progenitores possuem a divisão de reconhecimento genético e a escola médica legislativa observando os procedimentos médico/biológicos, o Sindicato funciona como Banco e mediador de finanças internas observando a interação entre o mercado hipertecnológico e o mercado mundano, os engenheiros do vácuo regulam as zonas de viagem e definem os quadros de acesso globais terminando com a NOM definindo as regras de lealdade e principalmente os protocolos de discrição exigidos tanto nos negócios quanto nas ações de campo.

Cada convenção possui escolas de treinamento de agentes e principalmente trabalha com células dependentes afiliadas a seus Rankings, normalmente grupos infiltrados em governos, empresas e até mesmo células da união pertencem ao conselho das convenções. Estas convenções policiam e controlam os deveres, direitos e principalmente a lealdade das diversas células da união que se espalham pelo globo. Sempre que uma ameaça qualquer sai da escala de poder duma célula citadina uma das convenções intervem utilizando seu poderio superior. A base das convenções se dá como uma forma de governo que regula a sociedade desperta secreta. Todas as células independentes pagam tributos ao corpo legislativo tecnocrata, enviando tanto recursos como equipamento e pessoal. O poder do corpo é grande a ponto dele possuir seus próprios exércitos particulares que são utilizados no caso de deslealdade ou necessidade de ações drásticas. As bases do controle normalmente se localizam no horizonte e no espaço. Todas as formas de transações interplanetárias se dão a partir da utilização de equipamento governamental. Apesar de serem livres todas as decisões numa célula podem ser ultrapassadas pelo conselho caso ele se mova. Estações espaciais, intramarinhas e equipes de exploração normalmente recebem financiamento desse corpo.

Estrutura 

O corpo é fundeado na grande AMATERAZU, a maior base extraterrena da Tecnocracia, com uma população própria e forma de governo padrão. A AMATERAZU é uma base de teleporte e transporte de naves interestelares localizada no centro do império extraterreno da união. Possuindo a central de comunicação mais rápida que a Luz ela serve de ligação entre todas as estações e satélites da união. Amaterazu abriga todos os principais órgãos abertos do governo e sua força se encontra principalmente no fato dela ter população própria equivalente a uma cidade de grande porte terrestre. Tendo exército próprio e angariando fundos enormes dos impostos cobrados sobre as companhias que contém células tecnocratas. A partir de amaterazu as células do corpo se espalham pelas colônias menores até chegarem ao fronte principal terrestre onde se infiltram nos governos e exercem uma função de monitoramento das atividades autônomas. A maioria dos membros dessas células é não desperto nascido na própria amaterazu ou em colônias não terrenas, sendo mais leal ao governo que a terra e a linha de front. Dentre as células mais temidas está o Grupo de Auditoria interna, um grupo de agentes despertos que possuem afinidade com procedimentos de leitura de mentes e analise de fidelidade. Todos os Auditores são extremamente respeitados e vagam de célula em célula procurando achar traidores.Muitos tradicionalistas infiltrados, grupos rebeldes e mesmo nefandis já foram purgados por essa divisão apesar do fato ter criado a fama de opressão por parte do controle central. Um chamado de um auditor e toda uma divisão pode ser deslocada de Amaterazu para resolver um problema específico.

O corpo tecnocrata funciona como meio de manter as células trabalhando juntas, mas é também uma forma de governo opressivo que pode gerar rebeldia por parte das células da linha de fronte. Agentes do governo recebem um trato melhor por parte dos órgãos oficiais e algum preconceito existe entre os que nasceram dentro e fora da terra. Os extraterrenos criados pela tecnocracia muitas vezes apresentam alguns efeitos estranhos sob o ar atmosférico, precisando de tratamento médico constante, mas em compensação são muito mais fortes possuindo um aspecto genético perfeito. É fácil para eles utilizarem-se de hipertech sendo todos considerados magos limitados para isso. O estigma que se cria entre os operativos terrestres e os operativos da Amaterazu cresce a cada dia.Enquanto as células livres vivem na frente de batalha sendo testadas a cada dia contra um mundo que ainda não está preparado para o que elas tem que oferecer, os privilegiados vivem em amaterazu desfrutando de um paraíso tecnológica, mas em compensação tem que viver sobre um regime que não aaceita dissidentes aos desígnios dos controladores populacionais. Uns invejam a paz, outros invejam a Liberdade e a cisma cresce. A inquisição é a prova da raiva que permeia os grupos, Formada inteiramente de Pessoal de fora ela julga impiedosamente os terrestres. UM fato interessante é que nunca um auditor chegou a uma conclusão errada sobre um caso, mas isso parece ser ignorado pelos opositores.

O corpo é um artifício utilizado para gerar um clima revoltoso entre as células terrestres oprimidas, gerando possibilidades de União entre tecnocratas e tradicionalistas contra um inimigo que em outros cenários seria pouco provável. Um tecnocrata vindo de amaterazu poderia formar um grupo que acha que o controle central da importância demais para um lugar que está perdido, vários movimentos contra as batalhas na terra crescem a cada dia em amaterazu, eles protestam contra todos os recursos que são gastos pra tentar elevar a terra a um nível tecnológico equivalente ao das bases espaciais. Esse grupo poderia criar atentados terroristas prejudiciais a todos, tanto tradicionalistas quanto tecnocratas, sendo de vital importância alguma forma de união. Crônicas centradas em amaterazu poderiam gerar um clima novo numa mesa de jogo, talvez a cidade possa ser uma espécie de ápice pelo qual os personagens dos jogadores poderiam lutar, ou um lugar a se temer no caso de jogadores das tradições. Sofrer um julgamento nos tribunais das convenções não é algo que um mago quer passar.

Círculo Interno: A mente do mundo

O círculo interno é um grupo seleto de líderes dentro das convenções, que em seu poder total é capaz de controlar qualquer aspecto da sociedade atual. Com influência numa escala quase teológica cada membro desse conselho é capaz de, com poucas palavras ordenar a extinção de povos, credos, raças e mesmo uma das convenções. Sendo visto como uma figura quase mítica, esse convênio de líderes é sussurrado as escuras nos poucos constructos que sabem de sua existência. Teorizado por muitos, mas visto por poucos, esse círculo gira no ápice da cadeia de comando tecnocrata, tendo abaixo toda a pirâmide de poder que fora construída desde os tempos da ordem da razão. Sendo matusaléns com séculos de Idade o círculo possui iluminação e poder para utilizar teorias cientificas capazes de mexer com a própria fábrica da realidade. Oráculos a serviço do bem maior da união, alguns membros vislumbraram a ascensão e decidiram permanecer na ordem do mundo. Tanto em termos de conhecimento quanto em poder político cada membro é capaz de anular a influência do outro, sendo em conjunto uma força capaz de mover as barreiras do mundo. Tendo poucos membros que já viram a ordem desde seu surgimento, estes anciões parecem inabaláveis no tempo e possuindo um dos mais preciosos itens da guerra da ascensão, a Timetable de progressos humanos planejada por completo . Pode-se dizer que o círculo interno é composto pela alma da sociedade tecnocrata, sendo a manifestação física do deus que o homem gerou através de sua ciência.

As manipulações do círculo são os passos que a tecnocracia dá em direção a seus gols, pouca coisa passa desapercebida dentro da união, e a influência desse grupo é tão magnânima e maquiavélica que nem mesmo os maiores analistas de dados conseguem decifrar sua origem. Os meios do círculos são desconhecidos mas seu fim é evidente. Um domínio total pela união sobre o mundo. Os olhos sempre atentos desse grupo sobrevoam cada constructo observando cada tecnocrata, inúmeras bases secretas e coisas que mesmo os mais altos chefes das convenções duvidariam existir estão a cargo desse conselho. A única coisa que se pode afirmar com certeza é que todos alguma vez já sentiram a manipulação de suas vidas pela força invisível que esse grupo exerce. Algumas vezes tudo parece se encaixar de forma inesperadas mas programática e efeitos estranhos parecem surgir como se deus estivesse a favor da tecnocracia, esses efeitos são apenas a ponta do grande iceberg que se desloca sobre o mar conspiratório da união. O conselho com toda certeza é um inimigo mais que equivalente ao poder das tradições.

BLACK OPS 

São poucos os que realmente já presenciaram o aparecimento desse grupo de operativos, mas é lenda entre os tecnocratas mais velhos que existe um seleto grupo de soldados e técnicos que trabalham para uma conspiração secreta dentro da união. Marcados principalmente pelo símbolo de um sol negro em seus uniformes, de tempos em tempos eles são vistos em laboratórios e linhas de frente. Ë dito que o aparecimento destas pessoas sempre é acompanhado de uma revolução dentro da união, seja tecnológica, seja social. A divisão de células e a fragmentação da união em suas bases terrestres foi precedida por diversos arquivos relativos a operações de espionagem e contra espionagem por parte de um grupo que foi identificado apenas como Iriem. Recursos desapareceram e apareceram e uma série de assassinatos e promoções inesperadas marcam as épocas que a União entra em colapso. Várias células já foram colocadas para estudar tais influencias procurando por corrupção, mas apenas um operativo negro foi preso e esse sumiu algumas semanas depois de dentro da ala de maior segurança da mecha.

Bases Secretas 

UM ponto fora descoberto a muito tempo pelos engenheiros do vácuo dentro do ártico, várias equipes de investigação foram mandadas e foram descobertas instalações de tecnologia avançadíssima totalmente abandonadas. Os mesmo estudiosos e operativos que comentam sobre Os Black ops e o estranho Iriem teoriazam a existência de bases secretas escondidas por tecnologias de Stealth ainda sequer descobertas cruzando o globo. Muitos analistas da união procuram identificar a origem da base descoberta, e todos os arquivos de dentro dos computadores do local pareciam revelar estranhos planos que envolviam cargos de pessoal altamente qualificado dentro da união.

O círculo interno serve como o “fantasma dentro da máquina”, sua principal função é mostrar que existe alguma coisa que ainda está acima da tecnocracia, servindo como manipuladores, as diretrizes desse conselho sombrio pode reger a vida de muitos magos e tecnocratas, peões de uma força superiora, o mistério e o clima de traição podem ser instigados numa campanha tecnocrata dessa forma. Um bom jeito de se unir magos das tradições e magos tecnomantes é se utilizar do pretexto de uma operação negra que tanto os tecnocratas quanto os magos querem parar. Talvez alguns magos tenham sido capturados assim como alguns agentes que sabiam demais. Alguns episódios de arquivo-x podem dar muitas idéias de aventuras com base nesse conselho. Um jeito legal dê se introduzir o conselho numa campanha é fazer suspense, armas para isso são, níveis de acesso para certas informações, agentes obcecados pela teoria conspiratória, ou pesquisas na base descoberta no pólo norte. O conselho nunca deve ser pronunciado explicitamente, apenas poucos dentre os que trabalham com a pesquisas dos BLACK OPS que sabem das teorias envolvendo essa entidade. Talvez os jogadores podem trabalhar para o conselho, numa missão de purgar os tecnocratas corrompidos, isso pode gerar uma nova virada nos jogos, onde apesar de serem tecnocratas os personagens ainda precisam se esconder da união. Ë costume do conselho fazer tratos não oficiais com capelas e magos. Talvez a capela dos personagens faça um trato liberando um dos magos presos pela tecnocracia em troca de um assassinato de um membro dentro da união, ou melhor, os personagens podem ser tecnocratas trabalhando na investigação de um assassinato e acabam descobrindo ter sido planejado por alguém dentro da própria união.

Os Projetos secretos: Intenções por trás das Intenções

A tecnocracia é um grupo científico e sua verdadeira força está no desenvolvimento de novas tecnologias e teorias. Muito da força da união está concentrada na pesquisa de elementos da realidade e suas interações com o resto do globo. Quando vemos uma célula tecnocrata que possua força suficiente para se manter por si só notaremos que ela começa a receber certas missões do corpo tecnocrata, é um processo informal, porém padrão dentro do esquema atualmente implantado. Sempre que uma célula se mostra eficiente o suficiente ela acaba por receber verbas extras e um objetivo de construção ou pesquisa. Chamados de projetos secretos, cada uma dessas tarefas faz parte da grande Timetable que a tecnocracia preparou. Ao contrário dos esquemas de implantação de tecnologia para as massas, que são praticadas por todas as células independentes, os projetos secretos são pesquisas totalmente voltados a sociedade desperta. Mexendo com elementos recém descobertos ou pesquisando fatos ainda desconhecidos todo o resultado benéfico gerado por uma pesquisa destas acaba sendo recompensado por um acréscimo nas verbas e maior acesso a rede de tecnologia do corpo da união.

Uma das principais formas de projetos secretos está na construção de aparatus de controle da realidade e semelhantes. Demandando esforço concentrado estes itens são distribuídos pelas células que tenham atingido capacidade para construí-los. Estes aparatus utilizam-se das teorias descobertas por grupos de pesquisa e botam-nas em prática. Os projetos também podem ser feitos de modo inverso, com uma célula desenvolvendo as plantas do projeto e o corpo, caso aprove, custeia todo o plano. Contratos e licenças de produção também se encaixam nesse aspecto, uma companhia pode receber contratos de produção de hipertech com pagamento após a entrega. Esse esquema de produção foi incentivado principalmente pelo sindicato que aprova as teorias de livre comércio e competitividade capitalista.

O tipo de projeto secreto mais incomum é o grupo de pesquisa afiliado. Onde o corpo tecnocrata separa indivíduos e contrata-os para desenvolver uma pesquisa qualquer, financiando células, fábricas e instalações para abrigar a pesquisa. Esse tipo de projeto só é feito em casos extremos, onde parte vital dos planos está em jogo. Quando um aparato que pode mudar as ondas da guerra ou quando uma ameaça grande está a caminho da telluriam esse tipo de grupo de pesquisas e construção é montado. Teoriza-se que existem grupos desse tipo ligados diretamente ao conselho interno e que as pesquizas que eles realizam podem ter impactos graves até mesmo na sociedade desperta e na união.

Os projetos secretos apresentam uma nova série de possibilidades a crônica. Espionagem entre as células tentando arrumar plantas de projetos para vender ao corpo tecnocrata é algo comum. O jogo pode ser mais chamado para politicagem ou mesmo para aventuras épicas onde os jogadores são convocados para participar de um projeto secreto que visa alguma missão importante como matar um membro do conselho dos 9ou deter o colapso de uma enorme entidade sobre a telluriam. Mais uma vez a investigação pode levar os personagens a descobrir um projeto secreto de uma empresa tecnocrata que pode causar problemas enormes a sua capela, ou mesmo a morte de muitos magos. Os projetos secretos são, como o nome fala, secretos e as informações sobre eles são extremamente confidenciais. Não se deve dá-las de forma vã. Exemplos de projetos secretos são: Uma forma de se penetrar a penumbra com facilidade pelos tecnocratas. Um mapa completo de todo o sistema de nodos do globo, um sistema que consiga monitorar toda a rede virtual, um sistema que permita localizar reações do paradoxo, um sistema que possa prever o despertar antes mesmo que qualquer mago possa notar. As possibilidades são infinitas e a conclusão de tais projetos pode trazer grande mal as tradições. Um projeto secreto que caia em mãos nefandis pode ser a cartada final da decadência da humanidade.

local original: Page of Mirrors
nome original: Tecnocratic file 001a: Descrição Alternativa de cenário
autor(es): Kaworu Naguisa
tradutor(es):

 Navegação Rápida