A Umbra Garou


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.



O mundo físico é uma região de mistérios, maravilhas e terror súbito. O mundo espiritual é isso e muito mais. Todas as pessoas em todos os tempos compartilharam uma crença comum de que a vida abrange muito mais que a realidade conhecida pela mente daqueles que a habitam. E eles estão certos. Logo além do Reino material existe outro lugar um mundo de sombras vivas e luz permanente. Os Garou conhecem essa região sobrenatural. É o habitat de seus totens espirituais e o refúgio de monstros indescritíveis. É a alma de Gaia e a fonte de grande mal. A Umbra. Este mundo espiritual não é o lar dos Garou, mas um dia será. A Umbra é uma dimensão misteriosa que reside próxima ao mundo da matéria, mas não em qualquer parte dentro dele. É um mundo composto inteiramente de energia espiritual, e se separa do mundo comum por uma vasta barreira chamada a Película. Um dia, os mundos gêmeos de matéria e alma foram um só. Eles ainda anseiam reunir-se, mas a dura realidade os separa. O mundo espiritual rompe a Película em muitos pontos para chegar ao físico, mas os dois não podem partir a Película e se unirem. Apenas os escolhidos de Gaia podem romper a Película e viajar da Terra para a Umbra. Infelizmente, muitos seres malignos, do mundo espiritual e do mundo físico, podem viajar para a outra direção.

Qualquer coisa que a imaginação conceba pode acontecer na Umbra; assim como muitas coisas além da imaginação. Dentro da Umbra existem muitas dimensões compactas, chamadas Reinos, sendo cada uma governada por leis diferentes de realidade. Contudo, a maioria dos Reinos visitados pelos Garou parecem ao olhar e ao toque com o mundo físico. Eles possuem céu, solo e horizonte. Os viajantes umbrais vêem, escutam, cheiram, tocam e provam o mundo espiritual de forma muito semelhante a que sentem o mundo físico.

As tribos de Garou indígenas americanos têm uma visão simples do mundo espiritual. Eles apenas o vislumbram ao longe, e acreditam que ele seja como aparece em suas visões. Os outros Garou têm visões mais complexas. Os Portadores da Luz, por exemplo, especulam que o mundo espiritual é radical e inacreditavelmente diverso do que parece ser. Eles acreditam que, por ser um mundo não de forma e substância, mas de impressões fugazes e símbolos que são traduzidos em informações sensoriais para os Garou. As experiências de vida do viajante umbral literalmente moldam sua consciência da Umbra.

A despeito da enorme diferença entre os Reinos da matéria e do espírito, os dois assemelham-se um ao outro. Uma parte do mundo espiritual, chamada Penumbra, reflete o mundo material. Ações poderosas do plano físico enviam emanações para o mundo espiritual que moldam a Penumbra de formas distintas. As mais poderosas dessas emanações físicas passam da Penumbra para a Umbra Rasa, onde elas criam Reinos inteiros baseados numa única idéia ou num constructo psicológico. Essas emanações são fracas demais para afetar a Umbra Profunda, que abriga as formas puras e abstratas conhecidas como Wyld, Weaver e Wyrm. A Umbra é habitada por espíritos, que podem ser hostis ou amistosos com os Garou. Os Garou vêem esses espíritos como fenômenos naturais (animais, árvores, ventos, etc.) ou forças sobrenaturais (monstros hediondos e toxinas vivas). Esses espíritos são desprovidos de substância física e normalmente podem penetrar o mundo físico apenas ao serem aprisionados num fetiche, numa pessoa ou numa criatura. Certos espíritos "os mais poderosos" podem se materializar no mundo Físico, embora a um grande custo de energia. Para os intelectos curiosos dos Portadores da Luz, esses espíritos são formas simbólicas que obtiveram uma medida de consciência.

Como os Garou não são naturais do Reino espiritual, freqüentemente experimentam um terror assoberbante ao ali chegarem pela primeira vez. A despeito disso, têm uma sensação estranha de pertencer à Umbra. Apesar de seus perigos terríveis, a Umbra é o lugar que renova suas forças, cura seus corpos alquebrados e restaura suas almas. Quando os Garou se sentem desamparados por humanos, lobos e mesmo outros de sua espécie, podem retornar para a força de suas vidas e beber de uma fonte que jamais seca. Essa fonte corre no fundo dos inúmeros mundos espirituais da Umbra.

local original: desconhecido
nome original: Viagens pela Umbra
autor(es): Marcelo Sarsur
tradutor(es):

 Navegação Rápida