Viagens pela Umbra


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.



Certamente, a sua crônica deve ter muito mais a fazer além de passear pela Umbra combatendo Malditos e caçando Englings. Você deve ter planejado batalhas a entrar para o repertório de lendas dos Garou, tramas malignas a serem desbaratadas, e mais várias outras oportunidades de boas histórias. E se os personagens desenvolverem um gosto exagerado quanto ao Mundo Espiritual?

Claro, eles podem ter imaginado que a Umbra seja um lugar bom: refúgio para balas de prata, um local sem poluição, onde qualquer distância é curta, e os sonhos estão ao alcance da mão... Mas a Umbra também pode ser um lugar bem ruim... Lá, a Harano é muito potente, pois os Garou vêem a cada minuto o que a Terra deveria ser. E também os fossos da Wyrm estão mais fáceis de serem alcançados por acaso...

Se a Umbra for usada pelos personagens apenas como um local para fugir das ameaças ou problemas da Terra, lembre-os que Gaia e os despertos dependem deles, ou ainda, se nem este argumento os convencer, crie algumas dificuldades para a travessia da Película, ou a abertura de Pontes da Lua. Afinal, a Wyrm e a tecnocracia está avançando cada vez mais...

local original: desconhecido
nome original: Viagens pela Umbra
autor(es): Marcelo Sarsur
tradutor(es):

 Navegação Rápida