A Tempestade


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


A Tempestade constitui a maior parte do Mundo Inferior, e é muito mais temida. Eu já me submeti à sua fúria uma vez, e espero jamais precisar fazer isso de novo. Apenas meu desejo em pôr um fim a esta existência sombria me levaria a cometer novamente essa loucura, e não sei se mesmo a recompensa da Transcendência seria suficiente para me fazer superar o medo. Mas estou fugindo do tópico de minha dissertação: a geographia inferna.

Apesar dos rigores da Tempestade, ela é habitada. Os motivos desses seres não podem ser entendidos por uma mente racional, mas talvez seus espíritos conturbados encontrem uma harmonia com as vastidões caóticas da Tempestade. Os Espectros - como os habitantes da Tempestade são conhecidos - mantêem-se em estado constante de medo e assombro. Eles são fortes, para sobreviverem ao ambiente que escolheram, e podem derrotar com facilidade os pobres espíritos que reinam em lugares menos perigosos. Ademais, tendo se acostumado ao seu ambiente infernal, essas criaturas são completamente insanas, sendo impossível prever suas ações. As formas dessas criaturas são variadas e terríveis, mas o corpus de nenhuma delas, por mais horripilante que seja, faz juz à sua natureza interior.

Ainda piores que os habitantes da Tempestade são os grandes Turbilhões que ela produz. Ondas gigantescas no mar envolto pela Tempestade, os Turbilhões ocasionalmente varrem as Regiões Sombrias, deixando um rastro de loucura e desastre. Reinos inteiros podem ser varridos pelos Turbilhões, e mesmo o mundo vivo sofre catástrofes estranhas e de enormes proporções quando elas aparecem. A destruição de Atlântida e de Pompéia - e, segundo alguns, até mesmo o Dilúvio - foram meros reflexos dos Turbilhões.

Contudo, existem vários Atalhos através da Tempestade, como as estradas que penetram as florestas dos Balcãs. Esses Atalhos podem ser percorridos com maior segurança que a Tempestade, mas isso é tudo que pode ser dito ao seu favor. Como as estradas do mundo vivo, eles são assolados por bandoleiros que atacam os viajantes incautos. Também não é incomum que as feras da floresta saiam para a estrada, e essas criaturas não são só lobos e ursos gentis do mundo vivo. Elas não recuam ao estalar de um chicote ou ao disparo de uma pistola, e de nada adianta abandonar um ou dois cavalos para saciar-lhes a fome. Viajar por esses Atalhos é muito arriscado, devendo ser feito apenas em casos de absoluta necessidade.

local original: Aparição, o Limbo
nome original: Prelúdio
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida