Cosmologia


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Escuridão, escuridão
Seja meu manto
Cubra-me com a noite sem fim
Leve para longe a dor do saber.
- The Youngbloods. "Darkness, Darkness"

O Mundo Inferior - composto das Regiões Sombrias, da Tempestade, Estígia e das Praias Distantes - é o terra do nada, habitada pelos mortos. As Regiões Sombrias, as Praias Distantes e Estígia correspondem aproximadamente aos "continentes" e "ilhas" da Terra. A Tempestade, o mar fervente do pesadelo, divide e separa esses reinos. O Limbo, encarnação do nada, espera abaixo da superfície da Tempestade.

O Limbo é o aspecto da realidade do qual oriunda toda a energia destrutiva, o lugar onde a entropia deposita a energia que rouba. Este vácuo escuro materializa a aniquilação, a obliteração de todas as coisas reconhecidas e de cada fiapo de identidade.

Como a essência e a fonte da entropia e da morte, o Limbo não é tanto a fonte básica do Mal quanto é um elemento fundamental da realidade. Juntamente com as outras grandes forças da natureza, o Limbo exerce um papel essencial na criação - a destruição da substância. Todas as coisas precisam ter um fim: os corruptos devem ser purificados, e os velhos devem dar passagem aos jovens, que mais cedo ou mais tarde envelhecerão e também darão passagem. A existência é um ciclo, e o Limbo é o catalizador desse ciclo.

O Mundo Inferior, por ser formado a partir da morte de todas as coisas, porta a mácula perpétua do Limbo. Tudo nas terras mortas reflete a passagem de sua congênere viva. Para as Almas Inquietas, todas as forças da vida, mesmo as mais fortes, parecem mingüar: as flores parecem murchas, a pintura das paredes sempre está descacando e os mortais doentes ou corruptos envergam suas mortes próximas como máscaras invisíveis. Isto sempre foi assim. Contudo, à media que o Limbo se expande, a mácula da morte escureceu o Mundo Inferior para tons jamais vistos mesmo pelas aparições mais antigas. E como a maioria dos fantasmas morreu sem jamais ter realmente vivido, a obliteração de tudo que resta é o pior pesadelo de uma aparição.

local original: Aparição - O Limbo
nome original: Cenário
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida