A Periferia


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Embora a Película seja tremendamente forte, as forças espirituais que ela tenta conter também são poderosíssimas. A parede da Película infla como um balão, e gotas de energia espiritual sangram em várias partes dela. Embora esta conexão espiritual limitada seja fraca demais para beneficiar guerreiros poderosos como os Garou, ela é muito importante para a humanidade. Os humanos costumam usar rituais, drogas, religião, arte, exercício físico e meditação para obter acesso a esse estado estranho, chamado Periferia.

Quando uma criatura inteligente - um ser humano, por exemplo - passa a compreender o lado espiritual de si mesma, sua consciência desliza suavemente para a periferia. As cores tornam-se mais vívidas, os sentidos mais aguçados, e o indivíduo sente uma impressão de conexão geral com todas as coisas. Este estado alterado de consciência já foi descrito pelas pessoas em todos os tempos e lugares, sendo acessível a qualquer um. É um território familiar para artistas e para Parentes Garou que se sintonizam com a Periferia com o propósito de compreender os espíritos. Ocasionalmente, os Parentes são capazes de enviar suas presenças espirituais através da Periferia para passar mensagens aos Garou, mas isso é raro.

Entrar na Periferia é alcançar um estado de êxtase no qual coisas aparentemente mágicas acontecem. Nem sempre essa ismagialm é pacífica. Na verdade, ela depende do estado mental da pessoa que esteja vivenciando a Periferia.

Artistas como William Wordsworth, cujas mentes são focadas no êxtase e na exaltação, recebem visões explêndidas de alegrias transcedentais. Artistas como Edgar Allan Poe, cujas mentes concentram-se na dor e na perda, recebem visões de horror e sofrimento. Artistas como William Blake, cujas mentes dedicam-se à condição humana, podem vivenciar e integrar as visões dos dois outros tipos. Na Periferia, os espíritos benignos são capazes de contactar os humanos - embora Malditos e outros espíritos malignos possamtambém alcançar os viajantes.

Os humanos contactados por espíritos amigáveis podem usufruir grandes benefícios. Os contactados por Malditos precisam partir rapidamente para evitar a contaminação física. Infelizmente, aqueles que entram na Periferia mediante o uso de drogas quase sempre são incapazes de deixá-la por sua própria conta. Eles correm o risco de ser incapazes de retornar ao mundo físico quando seus organismos não puderem mais suportar a experiência. Esse tipo de "aprisionamento" na Periferia pode conduzir a um terrível desfiguramento psíquico e a um choque espiritual. Os líderes espirituais carismáticos, capazes de levar uma congregação inteira à Periferia, podem, da mesma forma, causar danos psíquicos aos seus seguidores, que normalmente são incapazes de sair sozinhos. As únicas pessoas que não correm risco de choque psíquico por viajar na Periferia são aquelas que aprendem a entrar por força da vontade pessoal. Essas almas afortunadas permanecem razoavelmente seguras, por poderem sair a qualquer momento.

local original: Lobisomem - O Apocalipse
nome original: O Mundo Espiritual
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida