Reinos do Horizonte


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Entretanto, o Horizonte é mais do que uma barreira; ele também é um ambiente único, onde terras artificiais conhecidas como Reinos do Horizonte são construídas. Magos, tanto da Tradição quanto da Tecnocracia, são seus arquitetos, apesar de os espíritos poderosos também construírem Reinos para seus próprios fins.

Tais Reinos são raros; eles exigem uma quantidade enorme de poder para serem criados e mantidos. Os Reinos do Horizonte têm duas finalidades: eles nos protegem contra outras realidades e normalmente servem de base para Capelas Umbráticas. Os Reinos do Horizonte são projetados para serem uma representação perfeita do paradigma do seu criador e, assim sendo, não sofrem os efeitos do Paradoxo, desde que a mágika não se choque com a própria realidade do lugar. Eles são ideais para estudos e experimentos mágikos; afinal de contas, foram feitos para apoiar a visâo de mundo dos magos! Esse "modelo" também os forma perfeitos para abrigos. São muito parecidos com meu Santuário neste aspecto; como todo guerreiro sabe, o território do inimigo é sua defesa mais forte.

Existe um, não muito longe daqui. Você consegue vê-lo, flu tuando ao longe, como um balão multicolorido preso ao chão por um cordão prateado?

Vê como a cordão desaparece dentro da neblina? Na verdade, ele não está preso a nada aqui no Horizonte, nem é uma corda ou cabo físico. O que você vê é uma linha de Quintessência pura, usada para prender o Reino do Horizonte a pelo menos um Nodo na Terra ou a uma Capela ligada à Terra. Essa mesma, Quintessência permite a existência do próprio Reino do Horizonte, pois ele não pode existir sem uma infusão de combustível mís tiko, que flui por um Portal, uma abertura permanente na Película. Algumas dessas fitas são fáceis de serem encontradas se alguém souber como procurar, mas outras estão escondidas com poderosas mágikas de Primórdio.

Os Portais são normalmente protegidos por espíritos poderosos. Os Portais são mais fáceis de serem criados e mantidos em Nodos onde a Película é mais fina e a realidade estática mais fraca. Aqueles que obtiverem permissão, serão capazes de ir e voltar entre a Terra e o Reino do Horizonte. Nós não podemos entrar no Reino através do Horizonte, a não ser que seus criadores tenham feito uma porta dos fundos. Essas rotas sempre são bem protegidas, suas senhas entregues a alguns poucos, pois os Nefandi e os Desauridos procuram um acesso fácil para os Reinos do Horizonte, o melhor caminho para atravessar um Portal e chegar à Terra. E como esses canais também transportam Quintessência, eles dão aos invasores um acesso fácil para o poder.

Somente um mago completamente seguro de si fará uma saída para o Horizonte. Uma vez feita, somente idiotas a deixariam desprotegida. Mas para começo de conversa, os magos que são idiotas raramente conseguem alcançar o poder suficiente para construírem Reinos do Horizonte.

local original: Mago - A Ascensão
nome original: Os Outros Mundos
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida