Os Reinos do Paradoxo


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


A realidade é flexível e pode ser manipulada até um certo ponto. E mais fácil quando não há Adormecidos por perto para interferir com sua descrença, mas mesmo assim, o tecido do mundo pode ser alterado dentro de novos padrões. As fibras da Trama são cosidas com uma folga suficientemente grande para que possam sofrer mudanças sem se rasgarem ou se emaranharem formando nós. Entretanto, quando o tecelão se mexe rápido demais ou tenta mudar completamente o padrão, criando um novo desenho, a Trama revida. Algumas vezes, isto faz com que a lançadeira escorregue das suas mãos; outras vezes o tear se quebra e bate no rosto do mago. Isso é Paradoxo.

Se o tecelão continuar forçando o padrão em uma direção incompatível, o tear do Paradoxo acabará lhe dando o que ele quer - em excesso. Ele tece um Reino inteiro apenas para o mago, prendendo-o e levando-o para um lugar fora da Umbra Rasa de Gaia, e depois ajeita a trama de volta ao seu padrão original. Essa criação que prende o mago é conhecida como um Reino do Paradoxo. Isso normalmente é reservado para os ofensores mais descarados do consenso da realidade. O mago aprisionado tem que, de alguma maneira, entender o que ele fez de errado e conseguir algum meio de ajeitar as coisas para se libertar. Os Reinos do Paradoxo flutuam livremente pela Umbra Profunda, não estando nem separados, nem fazendo parte dela, mas em alguma estranha condição intermediária. Espero que você nunca caia num deles.

local original: Mago - A Ascensão
nome original: Os Outros Mundos
autor(es): desconhecido
tradutor(es): desconhecido

 Navegação Rápida