O Paradigma


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


Nota para os leitores: Enquanto eu tenho visto muitas variações do paradigma dos Vazios, muitos falham em explicar a visão do mundo dos próprios. Apesar de muitos serem bem jovens e estarem aptos a ter idéias MUITO materialistas e egoístas, o fato deles terem Avatares Despertos indica que eles têm algum tipo de visão geral do mundo, algumas idéias sobre o que é existência. Pelo que li, especialmente em O Livro das Sombras, Os Vazios são ligados por uma visão bem existencial do mundo. Espero ligar essa filosofia com o estilo dos Vazios com o que segue:

PS: Formigas = Adormecidos

O paradigma - O nada:

Este mundo é um grande Vácuo. Não existe uma canção unindo nada, não existe um "Modo das coisas", apenas um grande Vácuo. Não há sentido neste vácuo, nenhum propósito maior de ser, apenas o Vácuo. Coisas existem, e as formigas se apressam todo dia tentando justificar isso tudo, mas não há razão real do porque de fazermos isso.

Mágika - Desejo:

Aqueles com a disposição certa podem projetar seus desejos no Vácuo e impor seu próprio significado na realidade por um tempo curto. É aí que a diversão começa! 

AS ESFERAS 

Correspondência - O Não-Espaço:

Não é engraçado como tudo tem seu lugar? Espaço é simplesmente um jeito das formigas simplificarem o Vácuo, um truque de negação. Encontre o Não-Espaço, o infinito único onde o Vácuo existe, aí então aprenda como se livrar da hora do rush.

Entropia - Decadência:

Em algum ponto, tudo simplesmente vai para o diabo. Isso não significa nada; O Vácuo simplesmente não pode conservar tudo, então as coisas se arruínam para dar espaço para novos brinquedos. A Decadência atinge tudo, incluindo as belas crenças das formigas, esse é o porquê delas não gostarem dela.

Forças - Poder:

Isso é o que mantêm o Vácuo funcionando apropriadamente. Desvie um pouco dele e assista todo mundo gritando!

Vida - Existência:

Parece que isso endoida todo mundo; só porque existimos, há algum tipo de significado para tudo isso? Caiam na real, formigas! Vejam-me brincar com sua existência, aí então me digam como isso é especial! Quero dizer, é legal ser, mas ser não significa que você é algo.

Matéria - Brinquedos:

Coisas existem, claro e simples. Pôr que? Quem sabe e, francamente, QUEM SE IMPORTA!? Apenas brinque com as coisas e veja que tipo de lindos brinquedos você pode fazer.

Mente - Modelos:

Pensamentos impõem modelos no Vácuo, tentando dar sentido àquilo que é totalmente sem sentido. Brinque com os pensamentos das formigas, pire com seus lindos modelos, e veja-os enlouquecer.

Primórdio - Essência:

Pense nele como a Super Cola Universal... ei, algo tem que segurar toda essa porcaria junta! Isso faz com que tudo não desmorone rapidamente, mantêm o Poder funcionando e as formigas respirando.

Espírito - Reflexos:

Há um lugar onde a verdade sobre o Vácuo é revelada, e algo vive lá! Espíritos refletem a luz e as trevas de uma realidade que as formigas estão tentando criar desesperadamente, e nos mostram o que pode acontecer quando você nega a verdade do Vácuo pôr muito tempo.

Tempo - Medida:

Apenas outra criação para fazer a Existência mais fácil. Medindo a lentidão entre os eventos, as formigas justificam idéias como anciões, história, e importância. Tempo é apenas outra medida, e os ponteiros do meu relógios andam pra trás tão facilmente quanto uma régua pode ser movida.

Arete - Aceitamento:

Quanto mais se aceita a falta de sentido do Vácuo, mais você pode alterá-lo. Se você pode aceitar o Nada na Existência, nos Brinquedos, e em você, você aumenta sua presença e, de um jeito esquisito, fica mais real. O porquê disso é um mistério, mas pode ser que, enquanto você aceita seu vazio, você deixa de lado a ignorância e entra em um contato mais direto com o Vácuo. Quem sabe, apenas aceite a futilidade e se divirta.

Quintessência - Suporte:

Aqueles que aceitam o vácuo normalmente recebem suporte dele de algum jeito, normalmente na forma de combustível para os seus Desejos. Coisa boa, não dispense!

Paradoxo - Revanche:

Assim como você e eu não gostamos de idéia alheias impostas sobre nós, o Vácuo não curte muito quando você impõe muito significado sobre ele. Quando você faz isso, e especialmente quando você está desesperado, o vácuo contra-ataca e dá a revanche.. 

Antecedentes 

Arcanum - Inexistência:

As vezes você aceita tão bem o Nada que você se torna mais difícil de perceber. Vamos encarar os fatos, se você não significa nada e você SABE disso, então as formigas terão um belo trabalho para justificar sua existência.

Avatar - Presença:

Há uma parte em você que está intimamente conectada com o Vácuo e ajuda você. É essa presença que te permitiu conhecer a verdade, e é essa presença que lhe enviará para a verdade final.

Capela - Esconderijo:

Quando as formigas te dão nos nervos você precisa de um lugar onde todos te conhecem.....

Sonho - Guia:

As vezes pôr um momento, sua presença precisa te dizer algo importante, então ela fala com você quando ela tem toda sua atenção voltada pra ela.

Nodo - Bateria:

A Essência tende a ser coletada em baterias que você pode pegar e usar em seus Desejos. Obviamente, você não é o único que gosta delas, então fique esperto.

local original: Anders Mage Page
nome original: Hollow One Paradigm Page
autor(es): Malcus Dorroga
tradutor(es): [_CøRïNgA_][O_Vazio]

 Navegação Rápida