Jessika Grant


Aviso: Mago: A Ascensão é um jogo. É um jogo sobre temas maduros e questões complexas. O material à seguir tem relação com este jogo. Como tal, ele não requer apenas imaginação, mas também bom senso. O bom senso diz que as palavras de um jogo imaginário não são reais. O bom senso diz que as pessoas não devem tentar realizar "feitiços mágicos" baseadas em uma criação totalmente derivada da imaginação de outra pessoa. O bom senso diz que você não deve tentar desvendar agentes do sobrenatural com inspiração em uma obra completamente fictícia. O bom senso diz que jogos são apenas para se divertir e quando eles acabam, é hora de colocá-los de lado.
Se você perceber que está distante do bom senso, desligue seu computador, afaste-se calmamente e procure ajuda profissional.
Para o restante de vocês, aproveitem as irrestritas possibilidades de sua imaginação.


- "Hollou" o quê??! Esta é a pergunta com a qual Jessika Grant freqüentemente se depara ao tentar mencionar a que ordem pertence. Mas esta jovem Hollow One não mais se importa com a indiferença ou desconfiança de certos Magis em relação à nova tradição, pois ao invés de discutir estereótipos e ideologias ela prefere aprender e usufruir para seu próprio proveito o que mais lhe interessa em cada Ordem.

Jessie cresceu nas ruas e aprendeu desde cedo as duras regras da sobrevivência sem poder imaginar o quanto lhes seriam úteis mais tarde. Seu despertar ocorreu há alguns anos diante do sofrimento pelas trágicas mortes dos amigos e integrantes de sua banda de rock-gótico "Dead Souls". Desde então, tem dedicado sua vida a fugir e se esconder de Tecnocratas ou Magis inescrupulosos que, por razões ainda não esclarecidas, a perseguem insistentemente. Graças a uma forte dose de entropia, Jessie nunca está sozinha nos momentos mais difíceis, podendo contar sempre com a ajuda de outros Magi ou seres sobrenaturais.

Foi exatamente através dessa mútua relação de altruísmo que ela conheceu Bryce Grimm, um Órfão cheio de poderes e mistérios, dono da cadeia de lojas de ocultismo "Grimm's Occult Speciality Shop" e que veio a se tornar um grande aliado. Desde de que se conheceram os dois mantém um conturbado relacionamento de amor e ódio, amizade e respeito, traição e lealdade. Nas horas vagas (quando não está sendo perseguida), Jessie trabalha nas lojas de Grimm e é a mais diligente e bem remunerada atendente de que se tem notícias. Embora deteste admitir, Bryce Grimm representa um importante papel em sua vida, não apenas por ser seu mestre, patrão e amante, mas também por ser uma das poucas pessoas que realmente acreditaram nela, dando-lhe oportunidades não só de desenvolver seus poderes, assim como de adquirir maturidade perante os contratempos da vida.

Mais do que sua mágika, o cinismo e bom humor têm sido armas valiosas perante as situações incomuns com as quais Jessie se depara. Entre elas, o filho que teve recentemente com um Verbena e que foi por ela deixado no Horizonte a fim de que fosse criado por eles.

A despeito de seu comportamento impulsivo, e longe de suas crises depressivas, Jessika tem ansiado por encontrar um equilíbrio interior e uma maior compreensão sobre as coisas e acontecimentos que a cercam para, talvez dessa maneira, conseguir alcançar a sua paz e Ascensão.

Aparência: Jessika é uma jovem alta, magra, olhos castanhos e cabelos pretos até os ombros, o que contrasta bastante com sua pele extremamente branca. Recentemente fez várias tatuagens pelo corpo, entre elas a de um unicórnio azul nas costas, o olho de Rá na nuca e uma serpente no braço esquerdo. Embora goste de variar o vestuário, Jessie geralmente usa roupas pretas no estilo clássico, sempre está usando correntes, anéis ou amuletos provenientes das lojas de Bryce.

local original: Players Tools
nome original: Jéssica Grant
autor(es): Rita
tradutor(es):

 Navegação Rápida